Ginasta brasileiro envolvido em caso de racismo, afirma: “Já superamos”

Racismo e esporte são temas que, infelizmente, andam mais juntos do que se gostaria. A discriminação racial, nesse caso, como na maioria dos outros segmentos sociais, se dá do branco contra o negro e no caso de Ângelo Assumpção, não foi diferente. Envolvido em uma brincadeira, segundo ele mesmo, mas que virou caso de polícia evolvendo outros três ginastas, afirma que já superou o episódio.

LEIA MAIS
Ginasta da seleção é alvo de piadas racistas na web

Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, Ângelo minimizou o ocorrido:

“É como uma feridinha: aconteceu, pronto, sarou. Aconteceu o que aconteceu, fiquei um pouco chateado com o ocorrido e pelo que se tornou. Acho que era algo um pouco menor, mas a mídia aumentou. Essas barreiras todos têm que vencer. Não tenho o que falar. Já superamos tudo isso”, afirmou o ginasta.

Relembre o caso:

Em vídeo postado por Arthur Nory em sua conta no aplicativo Snapchat mostra ele e demais membros da seleção brasileira de ginástica artística fazendo piadas de cunho racista com Ângelo Assumpção, único negro na equipe nacional. O vídeo foi gravado em Portugal durante uma refeição e postado na noite de quinta-feira. As imagens foram obtidas e divulgadas pelo jornal O Globo.

“Seu celular quebrou: a tela quando funciona é branca… quando ele estraga é de que cor? (risos)”, pergunta Nory.

“Preto!”, dizem outros atletas que não podem ser identificados na imagem. E eles seguem: O saquinho do supermercado é branco … e o do lixo? É preto!”.

Ângelo ficou visivelmente constrangido com as piadas e depois não aceitou bem os pedidos de desculpas, como mostra outro trecho do vídeo.