Histórias do Futebol: O dia em que Oliver Kahn não comemorou um título por solidariedade ao rival

Foto: Reprodução

historias-do-futebol2

 

O alemão Oliver Kahn é um dos maiores goleiros da história do futebol mundial. Disputou 86 partidas pela seleção da Alemanha, sendo 49 como capitão. E disputou 429 jogos na Bundesliga pelo Bayern Munique, em 12 anos de clube. Ganhou o prêmio de melhor goleiros do mundo três vezes, além de outras quatro conquistas como melhor da Europa. Inegavelmente um mito do esporte.

LEIA MAIS:
Escocês tem nome de TODO o time do Leeds campeão em 1992… mas torce para rival

Mas além de todo seu talento e genialidade em baixo das traves, o alemão também protagonizou uma das histórias mais bonitas do futebol.

Em 2001, o Bayern de Munique disputou a final da UEFA Champions League contra o Valencia, da Espanha. O título foi decido nos pênaltis após um empate em 1×1 no tempo normal. Oliver Kahn foi um dos heróis do título após defender três pênaltis. E em um ato de pura companheirismo e comoção, o camisa 1 foi consolar o goleiro adversário.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Cañizares, goleiro do Valencia, desabou no chão chorando compulsivamente após o vice-campeonato. E além do vice-campeonato, o jogador havia perdido sua mãe havia no dia anterior a final daquela edição da Champions League. Kahn, ao invés de comemorar o título, atravessou o campo e foi consolar o rival.

Na época, alguns jornais chegaram a revelar as palavras de Oliver Kahn ao goleiro do Valencia naquele momento. “Não chore Cani, sua mãe está assistindo você agora e ela está muito orgulhosa de ter dado a luz a um lendário goleiro”.

Após o gesto de solidariedade, Oliver Kahn ganhou o prêmio Fair Play da UEFA.