Jefferson desabafa sobre barração na seleção: “Não foi falha”

Getty Images

Jefferson, goleiro do Botafogo e da seleção brasileira, comentou pela primeira vez sobre a sua barração como arqueiro titular do scratch canarinho. Em entrevista ao programa “Bem, amigos”, do Sportv, ele desabafou sobre os motivos que o levaram ao banco de reservas no time do técnico Dunga.

LEIA MAIS:
Mercado da bola: Botafogo tenta a contratação de Luisinho
Mercado da bola: Botafogo tem dificuldades para contratar Rever e Régis
Mercado da bola: Volante-artilheiro pode ser contratado pelo Botafogo
Mercado da bola: Botafogo tenta a contratação de Pedro Larrea
Gols, passes e dribles: Veja algumas jogadas de Benítez, que interessa ao Botafogo
Mercado da bola: Meia confirma sondagem do Botafogo

Segundo Jefferson, ele não foi injustiçado pelo treinador, mas acredita que existem diversos fatores que pesaram para essa decisão:

“Não digo injustiçado, talvez seja uma palavra muito forte. Mas não esperava, até pelos meus números na seleção brasileira. Goleiro é uma posição de confiança do treinador, e particularmente nunca usei imprensa para me defender ou acusar alguém, e sempre mostrei dentro de campo meu potencial. Acho que poderia ter me dado um pouco mais de crédito. Minha saída não foi talvez só pelo jogo do Chile, então particularmente fiquei triste, nenhum jogador gostaria de sair da maneira como saí”, disse o goleiro.

Para ele, o gol contra o Chile, que teria sido a causa de sua barração por causa de uma eventual falha, não é motivo suficiente, já que não houve frango:

“Foi uma bola defensável, não foi uma falha. Só que creio que não foi por aquele lance (que perdeu a vaga de titular). Errei a mão, porque foi uma bola muito em cima. Era com a mesma mão, mas foi uma bola muito rápida. Goleiro de seleção brasileira é mais cobrado e aceito isso, e quando você pega pênalti do Messi, quando faz grandes defesas, a gente sabe que pode pegar uma bola dessa, e aí vem a cobrança”, analisou o goleiro.

Foto: Getty Images