Opinião: Desafio de Tite agora é voltar a se dar bem nos mata-matas

Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

O Corinthians de Tite dominou em absoluto o Brasileirão e chegou aos 80 pontos, igualando o recorde do Cruzeiro de 2014 na era dos pontos corridos com 20 clubes. Mas o treinador certamente já deverá pensar na próxima temporada, que terá a Libertadores como obsessão da torcida novamente. É aí que vem o desafio do Corinthians 2016: se dar bem nos mata-matas.

O time deste ano foi eliminado do Paulistão pelo Palmeiras, da Libertadores pelo Guaraní do Paraguai, e da Copa do Brasil pelo Santos. Todas elas em casa, na Arena Corinthians. As duas primeiras balançaram o Corinthians, que teve saída de jogadores, seus piores resultados na grande campanha do Brasileirão e seu único momento de crise do ano nessa fase.

A queda diante do Santos foi bem administrada por Tite, que focava no Brasileirão. Mas agora, no primeiro semestre, a Libertadores é a única coisa que importará de verdade. É lógico que o título do Paulistão, ainda mais se ocorrer contra um rival, será muito comemorado, mas o corintiano quer o título continental para voltar ao Japão e relembrar 2012.

O primeiro objetivo do Corinthians é manter este elenco e depois reforçar com peças que deem ao time essa característica de copeiro. Foi nítido na reta final do Brasileirão, quando o time entrava ansioso em campo para ser campeão, que o rendimento baixou conforme o nervosismo aumentava. Já sem o peso nas costas, e com reservas em campo, o Timão enfiou 6 a 1 no São Paulo. É um sinal para Tite, o time precisa de mais cabeça para jogos decisivos.

É esse o caminho para que o Corinthians possa sonhar com o bi da América do Sul em 2016, apostar em quem possa decidir a parada em um lance, e não em 38 jogos.

Foto: Daniel Augusto Jr/Agencia Corinthians



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.