Opinião: Não só Tite, mas toda a comissão técnica do Corinthians merece aplausos

Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

O Corinthians está com as duas mãos na taça do Campeonato Brasileiro. Só falta levantá-la. É indiscutível que Tite é um dos grandes responsáveis pela excelente campanha do time, que no início da competição perdeu importantes jogadores. No entanto, vejo que a imprensa dá pouco crédito ao restante da comissão técnica.

LEIA MAIS:
Os sete jornalistas esportivos mais polêmicos do Brasil
Tite explica o que não gosta em Guardiola e elege o melhor técnico do mundo no momento

Talvez por serem figuras pouco presentes no noticiário, os demais profissionais não recebem a devida atenção.

Não dá para deixar de enaltecer o excelente trabalho do fisioterapeuta Bruno Mazziotti, um dos grandes responsáveis pelo fato de Renato Augusto ser um dos melhores jogadores do Brasileirão. Há mais de dois anos, o meia não sofre grave lesão muscular. Antes de chegar ao Timão em 2013, o camisa 8 teve lesões recorrentes no joelho e na coxa durante a sua passagem pelo Bayer Leverkusen. O seu primeiro ano no Parque São Jorge também foi complicado. Atuou apenas em 41% das partidas, tendo sofrido três lesões no período.

Mazziotti traçou um planejamento para minimizar os riscos de contusões e o jogador já colhe importantes frutos. Na atual temporada, Renato Augusto entrou em campo 45 vezes, marcou sete gols e deu nove assistências aos companheiros. Na temporada anterior, foram 42 jogos, três gols e nove assistências. 2015 já é o ano em que o atleta de 27 anos mais esteve em campo, desde que subiu aos profissionais do Flamengo há 10 anos. De “homem de vidro” ele virou o “motorzinho do time” e tem sido convocado para a seleção brasileira de Dunga.

Também é digno de elogios o trabalho do preparador físico Fábio Mahseredjian e seus auxiliares. Há poucas semanas do fim da temporada, a equipe tem demonstrado um ótimo preparo físico. A proposta de jogo de Tite exige muito comprometimento tático dos atletas. O treinador pede marcação avançada na saída de bola, recomposição defensiva e intensa movimentação dos meio-campistas durante os 90 minutos. Sem o preparo físico adequado, isso não seria possível e dificilmente, o Corinthians não teria uma larga vantagem de 11 pontos sobre o Atlético-MG, segundo colocado.

Um dos jogadores que mais evoluíram em 2015 foi o goleiro Cássio. Já era um bom goleiro, porém, possuía algumas deficiências como a reposição de bola e as saídas de gol. Bola aérea em sua direção era um tormento. Tais problemas foram sanados com o preparador de goleiros Mauri Costa Lima.

O Corinthians pode se orgulhar em ter a melhor comissão técnica do Brasil. Não é à toa que o fisioterapeuta Bruno Mazziotti, o preparador físico Fábio Mahseredjian e o analista de desempenho Fernando Lázaro também compõe a seleção brasileira.

Além de Tite, compõem a comissão técnica corintiana: o auxiliar técnico Fábio Carille, o observador técnico Mauro Silva, o preparador físico Fábio Mahseredjian, os auxiliares Shih Chien Chan Junior, Fabricio Ramos do Prado, Flávio Furlan;  o preparador de goleiros Mauri Costa Lima, os médicos Gervásio Mikami, Ivan Grava e Júlio Stancati, o consultor médico Joaquim Grava, os fisioterapeutas Bruno Mazziotti, José Alberto Fregnani Gonçalves, Paulo Rogério Vieira e Caio Maurício Sampaio Mello, o analista biomecânico Luciano Moreira Rosa e o fisioterapeuta Antonio Carlos Fedato Filho. Todos merecem ser reverenciados.

foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)