Opinião: São Paulo na Libertadores será humilhação dos que ficarem fora

Quatro treinadores em um ano, presidente renunciando em meio a tiroteio de denúncias de corrupção, tendo sido antes protagonista de uma briga com outro dirigente que chegou a ter um soco na cara. Goleadas para Corinthians e Palmeiras, duas eliminações seguidas para o Santos. Participações vergonhosas e, ainda assim, quarto lugar no Brasileirão. Se o São Paulo chegar à Libertadores com tudo isso, os demais terão MUITO o que explicar aos seus torcedores.

O primeiro da lista é o Palmeiras. Com o G-4 praticamente impossível de ser alcançado, o Verdão só tem a Copa do Brasil para fazer valer os milhões investidores pela patrocinadora Crefisa e por seus quase 130 mil sócios-torcedores com uma vaga na competição mais importante da América do Sul. Com mais de 20 contratações para seu elenco, o time alviverde trouxe ainda o técnico e o diretor de futebol bicampeões brasileiros pelo Cruzeiro em 2013 e 2014.

Para piorar a situação, o Palmeiras teria que explicar ao seu torcedor como todos os outros grandes, Corinthians, Santos e São Paulo, estariam disputando a Libertadores e ele, não. Só o Palmeiras olhando pela TV a maior competição que um clube pode disputar no primeiro semestre. Como?

E o Cruzeiro? Como demorou tanto a perceber que Vanderlei Luxemburgo não era o cara certo? Por que um trabalho de ressurgimento como esse liderado por Mano Menezes não começou antes? Como o bicampeão brasileiro vai amargar um ano fora da Libertadores, a mesma que o time das porradas internas e das goleadas humilhantes jogaria?

O Internacional. Como o semifinalista caiu tanto de produção após sua eliminação na Libertadores, demitiu um bom treinador e levou cinco do Grêmio? Por que, mesmo assim, não chegou à Libertadores? Esse será o cenário colorado, que ainda sonha com a vaga, mas não conseguiu G-4 a duas rodadas do fim.

E o Santos, caso perca a Copa do Brasil para o Palmeiras e venha a amargar um quinto lugar no Brasileirão? Como explicar uma queda tão forte no rendimento no último mês do campeonato? Como justificar o adiamento de uma final que claramente seria mais favorável ao Peixe se jogada no começo de novembro?

O Flamengo, de Oswaldo, vinha forte. Por que não embalou? E o Fluminense, como brigou até contra rebaixamento em um campeonato no qual o São Paulo foi quarto colocado?

O São Paulo, se chegar à Libertadores, será vencedor de uma guerra contra si mesmo. Será contra Aidar, contra seus dirigentes, contra seus bastidores, contra suas crises. Mas os demais terão que explicar o inexplicável.



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.