Opinião: Torcedores do Palmeiras “apequenam” o próprio clube

reprodução / TV Palmeiras

Esta semana foi realizado o sorteio dos grupos do Campeonato Paulista de 2016. O Palmeiras caiu no grupo B junto com Ponte Preta, Ituano, São Bernardo e Novorizontino. Os times não se enfrentam diretamente, mas apenas dois se classificam após disputarem jogos com os clubes dos outros três grupos. Como será que o palmeirense reagiu a esse sorteio? Da pior maneira possível…

LEIA MAIS
Mercado da bola: Edu Dracena pode reforçar o Palmeiras em 2016
Tudo azul no Verdão: Lucro do Palmeiras já ultrapassa R$ 6,5 mi no ano
Confira em qual grupo o Palmeiras estará no Paulistão 2016

Antes de seguir com a minha coluna de opinião, quero deixar claro que nem todos os palmeirenses reagiram negativamente. A generalização é burra, então vale ressaltar isso. Contudo, MUITOS alviverdes estão temendo o grupo do Palmeiras, chamando de “grupo da morte”.

Sério? Me dá até vergonha alheia.

Como já diria Zé Roberto, “o Palmeiras é grande!”. Um time da grandeza do alviverde paulista, imponente como diz seu hino, não pode e não deve temer times de menor expressão como Ponte Preta e Ituano principalmente, por mais que a Macaca esteja fazendo uma excelente campanha na Série A do Brasileirão e o time de Itu tenha sido campeão paulista em 2014. Eles merecem todo o respeito do Verdão e de seus torcedores, mas sem exageros, por favor.

Um amigo me questionou no Facebook com o seguinte argumento: “as pessoas estão falando isso porque já perdemos para clubes menores do que eles recentemente”. Verdade, infelizmente. O Palmeiras, aliás, vem colecionando no mínimo um vexame por ano. No âmbito do Paulistão, quem não se recorda do Mirassol? (Regularize seu estádio logo, Água Santa, #peloamordeDeus).

Mas tudo isso tem de acabar. Ô se tem. Numa época em que os palmeirenses ficam loucos da vida com o ex-presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, por ele ter dito que o Palmeiras está “se apequenando”, os próprios torcedores disseminam um discurso derrotista e pequeno como esse de “grupo da morte”? O Palmeiras é muito grande, tem de se impor sempre. A desconfiança da torcida por fases ruins é válida, mas não deve ser exacerbada a essa ponto.

Vocês se recordam das palavras do Marcos, antes da final do Paulistão 2008? “Eu não vou perder para essa Ponte Preta nem a pau!”. Claro que o Santo não quis menosprezar o clube campineiro – longe disso – mas sim deixou transbordar o sentimento que deveria estar na mente e no coração de cada palmeirense: somos gigantes, não temos medo de ninguém!

Que o vídeo abaixo NUNCA caia no esquecimento. Se o Zé Roberto, que acabou de chegar ao clube praticamente, já entendeu a grandeza do Verdão, o que dirá nós, torcedores do Palmeiras desde sempre?

Foto: Reprodução / TV Palmeiras