Opinião: Valentino Rossi, o campeão moral da MotoGP em 2015

O Mundial de MotoGP de 2015 teve na tabela como campeão o espanhol Jorge Lorenzo (Yamaha), mas, se pudermos dar esta “conquista” de forma moral a alguém, este vai para Valentino Rossi (Yamaha).

O italiano fez uma temporada que poucos esperavam, ganhando cinco corridas e chegando à última prova do ano em condições de brigar por aquela que seria sua oitava taça na categoria principal. Contudo, os acontecimentos em Sepang, na Malásia, determinaram rumos diferentes na corrida deste domingo no Circuito Ricardo Tormo, onde tivemos o GP da Comunidade Valenciana.

Lorenzo largou da pole e liderou a corrida todo, mas em momento algum abriu uma convincente diferença como em corridas anteriores. Rossi, por sua vez, vinha de um duro castigo. Ele teria que largar em último por conta do entrevero com Marc Márquez (Honda) no evento passado. Neste domingo, enquanto Rossi fazia uma de suas mais épicas corridas, vindo de 26º e último para quarto, Márquez se prestou a ser guarda-costas de Lorenzo, sem ameaçar e no único momento que foi acossado por seu companheiro de equipe, Dani Pedrosa, levou um troco imediato e deixou seu colega de time em terceiro.

Lorenzo é um dos melhores da MotoGP? Sim, se ele já foi campeão duas vezes no passado, tinha talento para ser de novo este ano e em outros anos que virão pela frente. Só que ele não precisava de um escudeiro tão fiel quanto Marquez foi. A vaia que o bicampeão mundial recebeu no pódio foi sim merecida, porque o mínimo que se espera de um competidor é que ele brigue para defender sua posição, atacando ou defendendo e não sendo um “cachorrinho de madame” como agiu nesta tarde em Valencia.

Se na F1 já tivemos experiências controversas com Rubens Barrichello e Felipe Massa, elas se tornaram menores diante do feito por Marquez. Eu vou assumir que até estas confusões, eu admirava Marc Marquez, por seu talento e precocidade, tal qual Sebastian Vettel. A partir de hoje, não verei o espanhol com os mesmos olhos e sim, passo a respeitar e admirar Valentino Rossi, aquele que na minha opinião é sim o campeão moral da MotoGP em 2015.