Os caminhos usados por Santos e Palmeiras para bater o rival em 2015

Santos 2 x 1. Palmeiras 1 x 0. Santos 2 x 1. Palmeiras 1 x 0. Santos 2 x 1. Foram estes os resultados dos cinco duelos entre os finalistas da Copa do Brasil, até aqui, em 2015. Mas é inegável que os próximos dois, nas duas próximas quartas-feiras, são os mais esperados e mais importantes. E o que cada time fez até aqui para ganhar do rival que pode ajudar na final?

Leia também: Seis meses depois, outra final: o quanto Santos e Palmeiras mudaram do Paulista para a Copa do Brasil?
10 heróis em mata-matas entre Santos e Palmeiras que poucos lembram

Abaixo, a análise da situação tática definidora para o time vencedor a cada jogo, e se esta pode funcionar na final da Copa do Brasil:

Santos 2 x 1 Palmeiras – Paulista – 11/03 – Ricardo Oliveira abrindo espaço na área
Algo que passou a ocorrer mais com Dorival Jr., a movimentação de Ricardo Oliveira para fora da área já foi bem executada pelo Santos no primeiro duelo com o rival no ano. No primeiro gol da virada, Ricardo abre pela esquerda e puxa três defensores com ele. A área fica vazia e outro ponto forte do Santos de hoje ocorre: um dos volantes chega ao ataque. Renato marca:

tatica1

Palmeiras 1 x 0 Santos – Paulista – 26/04 – Cruzamento
Se o ponto fraco da defesa santista, hoje, é o cruzamento para a área, quando ela sofria ainda mais gols (pré-Dorival) os rivais abusavam da tática. O Palmeiras ganhou o primeiro jogo da decisão do Paulista assim. Veja que o cruzamento encontra 1) Leandro Pereira livre entre dois zagueiros; 2) quaro jogadores do Palmeiras na área, contra três defensores do Santos. Vantagem de posicionamento e numérica.

tatica2

Santos 2 x 1 Palmeiras – Paulista – 03/05 – Pressão nos zagueiros
O Santos tem feito na Vila uma linha de três atacantes mais Lucas Lima para pressionar os zagueiros adversários. Na final do Paulista essa linha com Lucas Lima logo atrás, formando um losango, já ocorreu – e foi no gol de Ricardo Oliveira, o segundo do time. Veja, com ajuda da linha do gramado, como os três atacantes se alinham e Ricardo é quem pressiona o zagueiro. Ele ganha a bola e sai livre para marcar.

tatica3

Palmeiras 1 x 0 Santos – Brasileiro – 19/07 – Jogo em cima de Werley
Aqui, a única situação que, dificilmente, se repetirá na final: o Palmeiras soube ganhar o jogo do 1° turno do Brasileiro explorando o mais fraco dos zagueiros santistas. Werley, porém, não deve entrar na final, tirando caso de suspensão ou lesão, já que perdeu a posição para Gustavo Henrique poucos jogos depois. Veja como a defesa do Santos até estava bem posicionada, sem deixar rivais livres. Mas Werley permite a Leandro Pereira o domínio, o giro, e o chute. E o gol.

tatica4

Santos 2 x 1 Palmeiras – Brasileiro – 01/11 – Triangulação de Lucas Lima com lateral
A jogada mais produtiva dentre as ensaiadas pelo Santos é a triangulação envolvendo um lateral, Lucas Lima e um dos atacantes abertos na ponta da área. No último duelo entre os times, o primeiro gol do Santos sai desta forma. Lucas Lima tem a bola e chama dois defensores. Zeca passa pela lateral. Ricardo Oliveira sai da área e abre espaço. Zeca recebe livre. E aí a consequência da jogada é 1) um voante chegando livre (no caso, Thiago Maia); 2) quatro atacantes do Santos contra três defensores, proporcionando sobras. Gol.

tatica5

Imagens: Reprodução/TV Globo



Jornalista esportivo.