Renato Augusto diz ter pensado em ir para um mercado alternativo na época de lesões

O ano de 2015 marcou a volta por cima do meia Renato Augusto, após demorar a engrenar na no Corinthians devido a sucessivas lesões. Em boa parte de 2013, o seu primeiro ano de alvinegro, ele frequentou o departamento médico e pouco ajudou o time. O jogador, um dos destaques do hexacampeonato brasileiro corintiano, revelou que durante a fase ruim pensou em ir para um mercado alternativo disposto a dar um retorno financeiro ao Timão.

LEIA MAIS:
Corinthians ultrapassa o Palmeiras e assume a maior renda do Brasileirão; veja o Top 10
Corinthians ultrapassa o Santos e tem o melhor ataque do Brasil em 2015; confira o Top 5

“Eu achei que não jogaria mais em alto nível. Já estava pensando em ir para um mercado abaixo para dar um retorno financeiro ao Corinthians já que investiu. E que eu pudesse ainda jogar mais um pouco. Mas com o trabalho feito no Corinthians, com os fisioterapeutas (Bruno Mazziotti e equipe), percebi que ainda poderia jogar em alto nível. Hoje tenho certeza que pude dar um retorno, não da forma que eu queria. Ainda acho que posso melhorar algumas coisas”, disse durante participação no programa “Bem, Amigos”, do SporTV, da última segunda-feira.

2015 já é considerado o melhor ano da carreira do atleta de 27 anos. Pelo Timão, o meia entrou em campo 52 vezes e marcou sete gols. O bom futebol lhe rendeu convocação para a seleção brasileira para os jogos contra Argentina e Peru, pelas Eliminatórias da Copa. Em sua primeira chance como titular, terça passada, diante do Peru, ele deixou ótima impressão ao marcar um dos gols da vitória por 3 a 0. Dois dias depois, Renato Augusto escreveu o seu nome da história corintiana com o hexacampeonato brasileiro, após o empate com o Vasco.

“Foi uma semana realmente importante para mim. Vou lembrar com muito carinho. Principalmente pela volta por cima, por ter passado por momentos realmente difíceis. Você passa a não acreditar mais, muita gente passa já não acreditava mais. E poder dar a volta por cima, voltar a jogar em alto nível, voltar a seleção brasileira e fazer meu primeiro gol com a camisa da Seleção. E ainda tem um título brasileiro. É para fechar um ano inesquecível para mim”, completou.

O camisa 8 tem contrato com o Timão até dezembro do ano que vem. Há um mês, durante entrevista coletiva, ele afirmou o desejo em prorrogar o vínculo.

“Ainda não teve uma conversa, não sentamos para conversar, mas eles (dirigentes) estão chamando meus representantes. Quero ficar fora disso, com a cabeça só no campo. Minha ideia é ficar. Tenho uma gratidão muito grande pelo clube e aos poucos estou conseguindo retribuir. Depende mais deles do que de mim”, disse na época.

foto: Getty Images



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)