Ricciardo admite que não encontra muitos desafios em Interlagos

O piloto da Red Bull, Daniel Ricciardo, garante que não encontra desafios em Interlagos, palco da próxima prova do Mundial de F1 de 2015, o Grande Prêmio do Brasil.

Daniel, que é conhecido como o “homem-sorriso” da categoria, só pontuou uma vez em São Paulo, no ano de 2013, quando foi o 10º colocado na prova e chega a dizer que no circuito José Carlos Pace, não existe uma curva realmente desafiadora, situação semelhante – na sua opinião – a Sochi, na Rússia.

“O que eu aprendi é que você não deve pensar muito à frente. Você tem que ir curva a curva e concentrar naquela que você está. Não há muitas que você faz junto. Não há muitas curvas que você pare”, falou o vencedor de três corridas na F1 no ano de 2014.

“O Brasil tem um evento com uma ótima atmosfera numa corrida excitante, mas o circuito realmente não me emociona”, acrescentou.

“Não há uma curva que lhe dê qualquer satisfação real. Eu não quero parecer chato, porque não sou, mas como na Russia, não há uma curva que faça você gritar ‘Wooo-Hoooo!’ O circuito precisa de mais algumas curvas e alguma realmente de alta. Há algumas boas que parecem boas no papel, mas por conta das inclinações, você nunca sente que está passando do limite”, falou.

Ricciardo infelizmente não conheceu o traçado antigo de Interlagos, de quase 8km, e que contemplava curvas com desafios diversos, como o antigo Laranja e a antiga curva do Sol, no sentido inverso ao atual, e que tinha um raio muito longo.