Williams não se unirá a ação contra comando da F1

A Williams não deve se unir a Force India e Sauber como parte interessada na queixa dos dois times contra a governança da Fórmula 1 junto à Comissão Europeia.

As duas equipes reclamaram ao organismo da União Europeia alegando que o processo de elaboração de regulamentos e distribuição de dinheiro da categoria é injusto, pois discrimina as escuderias como privilegiadas e não privilegiadas.

A Williams é considerada independente, mas tem assento no Grupo de Estratégia da categoria, por ter uma longa história e títulos conquistados desde os anos 80 na categoria. Segundo o jornal Sports Business Daily, tanto Sir Frank Williams, quanto sua filha, Clarie, decidiram não apoiar as pretensões de Vijay Mallya (dono da Force India) e de Peter Sauber e Monisha Kaltenborn (proprietários do time suíço).

“Temos um contrato com a FOM para competir na Fórmula 1 e conhecemos o regulamento envolvendo isso. Nós assinamos esse contrato e ele será cumprido”, garantiu Clarie Williams.

Fundada em 1977, a escuderia obteve até hoje nove títulos como construtora, sete entre pilotos, 128 poles, 133 voltas mais rápidas e 114 vitórias, sendo que a última foi de Pastor Maldonado no GP da Espanha de 2012.