Semifinalistas, jogadoras holandesas ganham apoio da seleção masculina de futebol

rédito: Rafael Freitas

A seleção feminina de handebol da Holanda já fez história no Mundial da Modalidade, que ocorre na Dinamarca. Após seis vitórias e apenas um empate na competição, as holandesas alcançaram a semifinal do torneio, algo inédito na história do esporte do país.

Assim como no Brasil,o handebol não é um esporte muito popular na Holanda. As jogadoras não estão acostumadas a badalação por parte da mídia e dos torcedores. Após alcançarem a semifinal, entretanto, viram um aumento de interesse por parte da imprensa holandesa e internacional, além do apoio de muitos torcedores que passaram a acompanhar a modalidade.

– Está sendo uma loucura. Normalmente, vemos um ou dois jornalistas fazendo matérias sobre handebol. E hoje está assim, lotado. É incrível. Acho que se você fosse a qualquer rua da Holanda um mês atrás e perguntasse sobre handebol, as pessoas perguntariam “o que é isso?”. E agora estamos recebendo milhares de mensagens de muitos torcedores do nosso país. Não consigo imaginar o que está acontecendo lá, e eu também não quero imaginar, porque tenho que manter o foco para a semifinal, mas estão dizendo que está uma loucura – disse a jogadora Estavana Polman, surpresa com o que está acontecendo.

Além de muitas mensagens em redes sociais de torcedores, as jogadoras tem recebido apoio dos jogadores da seleção holandesa de futebol. “Ficamos muito felizes com o apoio de alguns jogadores de futebol holandeses, inclusive da seleção do país. É muito bom porque o futebol é o principal esporte na Holanda, e quando os jogadores da seleção nos apoiam, os fãs de futebol passam a interessar pelo handebol”, declarou a jogadora Lois Abbingh, principal artilheira da equipe na competição e companheira da jogadora brasileira Alexandra Nascimento no time do Baia Mare, da Romênia.

Nenhuma das duas jogadores quis revelar nomes, entretanto.”Não sou muito boa com nomes (risos). E também não sei se posso falar, mas recebemos mensagens de alguns sim e ficamos muito felizes”, falou a bem humorada Estavana. que sonha em vir ao Brasil para os Jogos Olímpicos de 2016: “É o nosso maior sonho. Não estamos pensando nisso agora, porque temos uma semifinal para vencer, mas gostaria muito de estar no Rio no ano que vem”. Lois tem o mesmo sentimento.”Sou muito amiga da Alexandra e sempre ouço as histórias sobre o Brasil. Quero muito estar nas Olimpíadas. Nosso objetivo era ficar entre as oito aqui na Dinamarca para ao menos disputar o pré-olímpico. Mas agora, porque não sonhar com o título e a vaga direta?’

A Holanda tenta uma vaga na final nesta sexta-feira, às 15hs do horário de Brasília, contra a equipe da Polônia. Quem ganhar encara a vencedora da partida entre atual bicampeã olímpica e campeã europeia, Noruega contra a Romênia, que eliminou a seleção brasileira nas oitavas-de-final. Ambos os jogos terão transmissão ao vivo dos canais Sportv.



Paulistano, 27 anos, deixou a publicidade e o marketing esportivo para ingressar no jornalismo e conseguir cobrir grandes eventos esportivos. Apaixonado por esportes olímpicos e futebol americano, sonha em estar no Rio de janeiro em 2016 para cobrir os Jogos Olímpicos in loco.