Algoz do Brasil, Romênia tenta derrubar campeã olímpica no Mundial de Handebol

crédito: ihf.com

A Romênia é uma das grandes surpresas do Mundial de Handebol Feminino, que termina neste domingo em Herning, na Dinamarca. A seleção do leste europeu sofreu na fase de grupos, perdendo três dos cinco jogos disputados. Quando a fase eliminatória chegou, entretanto, a seleção romena se transformou.

Se classificando na quarta colocação do grupo D, as romenas encararam, pelas oitavas-de-final, o Brasil, atual campeão da modalidade e invicto na competição até aquele momento. Jogando com muita vontade e raça, surpreenderam as brasileiras, vencendo pelo placar de 25 a 22 e avançou às quartas para encarar a anfitriã Dinamarca.

“A Romênia jogou com muita vontade, principalmente no primeiro tempo. Como nós costumamos jogar. Elas tem condição de vencer a Dinamarca se continuarem jogando assim”, definiu a meia-esquerda brasileira Eduarda Amorim, a Duda, eleita a melhor do mundo em 2014.

A brasileira estava certa. Diante de um ginásio com quase 14 mil pessoas, as romenas, novamente demonstrando muita raça, venceram as donas da casa, num jogo eletrizante, vencido apenas no último segundo da prorrogação.

– Depois de perder três partidas, conversamos e discutimos que teríamos que jogar melhor. Contra o Brasil, jogamos com muita vontade e com o coração. Hoje, foi a mesma coisa – declarou a armadora romena Cristina Neagu, eleita a melhor jogadora do mundo no ano de 2010 e autora de 14 gols no jogo conta a Dinamarca.

As romenas, novamente,  não tarefa fácil. A adversária é a Nourega, atual bicampeã olímpica e campeã europeia. Além disso, jogarão contra a torcida norueguesa, que promete encher o ginásio. O jogo ocorre às 17:45 do horário de Brasília, com transmissão dos canais de tv por assinatura Sportv e ESPN.



Paulistano, 27 anos, deixou a publicidade e o marketing esportivo para ingressar no jornalismo e conseguir cobrir grandes eventos esportivos. Apaixonado por esportes olímpicos e futebol americano, sonha em estar no Rio de janeiro em 2016 para cobrir os Jogos Olímpicos in loco.