Ciclista Tiago Nardin sonha com vaga nas Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016

Tiago Nardin aposta em bom desempenho no próximo ano para ser convocado à Seleção Brasileira de Ciclismo

Com a temporada recheada de conquistas, o ciclista Tiago Nardin, da Equipe de Ciclismo de Ribeirão Preto (São Francisco Saúde / SME), tem motivos de sobra para acreditar em uma vaga na Seleção Brasileira para a disputa dos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro. Nesse ano, o atleta disputou o Pan do Canadá e foi o melhor brasileiro na prova de estrada, chegando na quinta colocação.

LEIA MAIS:
VÍDEO: Inacreditável! Atleta cai na última curva e perde prova de ciclismo
Prova de ciclismo nos Estados Unidos tem dois acidentes incríveis; assista
Ciclismo brasileiro volta ao pódio no Pan após jejum de 20 anos

Além disso, na pista, ficou na quinta colocação da perseguição por equipes, com a Seleção Brasileira. Nardin acredita que o desempenho que teve no Canadá pode ajudar na convocação. “Olimpíadas é o sonho de todo atleta, ainda não tive a chance de disputar. O resultado no Canadá pode fazer com que eu seja convocado e defenda o Brasil em casa”.

O ciclista ainda afirma que a energia vinda dos torcedores será um dos principais fatores para a conquista de medalhas. “Sempre é bom competir com a torcida a favor, vibrando e torcendo junto. Nós sentimos mais força ali na bike com esse incentivo das arquibancadas”.

Por outro lado, mesmo se não for convocado, o atleta afirma que a modalidade estará bem representada com ciclistas de alto nível técnico e qualidade. “Independente, de quem for convocado para as Olimpíadas, acredito que o ciclismo será bem representado nas provas pois dedicação, seriedade e garra não falta para nós brasileiros”.

Temporada de sucesso

Os números favoráveis fizeram parte da rotina de Nardin em 2015. Nesse ano, com a Equipe de Ribeirão Preto, ele foi campeão do Circuito Brasileiro de Pista, Granfondo de Verão, 1ª Etapa da Volta de Goiás, venceu três etapas da Copa Rio e a Volta Ciclística Internacional do Paraná. Além disso, esteve na equipe campeã brasileira de pista, na prova de perseguição.

Foto: Martinez Assessoria



Ribeirão-pretano com orgulho e apaixonado por todas as modalidades esportivas. Jornalismo esportivo é uma das paixões que carrego em meu peito. Sonhar é o que mantém o Homem vivo. "O Homem não morre quando deixa de existir, e sim quando deixa de sonhar".