Jorginho reclama de críticas à sua religião e pede mais respeito

Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

O técnico Jorginho ficou muito marcado por ser evangélico durante a sua passagem como auxiliar técnico de Dunga na seleção brasileira entre 2006 e 2010. Hoje no comando do Vasco, o ex-lateral foi citado como um dos incentivadores dos cultos realizados na concentração da equipe.

O treinador falou em entrevista na última terça-feira sobre o assunto e lamentou as críticas feitas a esportistas religiosos, como ele.

“Vou pegar uma frase do surfista de Cristo, Jojó de Olivença, dos anos 80: ‘Deus abençoa, mas não surfa’. As pessoas precisam entender isso. A minha religião, seja qual for, não é a questão. As pessoas precisam respeitar por eu ser evangélico, mas por ser profissional”, afirmou Jorginho ao SporTV.

O técnico, que caiu com o Vasco para a Série B do Brasileirão de 2016, falou como as críticas mudaram seu comportamento.

“Minha assessoria ajudou a desmistificar isso. Eu leio a Bíblia, eu oro, me ajoelho. Se eu não puder mais fazer isso, deixo de ser técnico”, disse.

Crédito da foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br



Editor senior do Torcedores.com, o jornalista formou-se na Universidade Metodista em 2009 e passou pelas redações do Diário do Grande ABC, Agora SP, UOL e Fox Sports, onde fez a cobertura da Copa do Mundo de 2014. Está no Torcedores desde outubro de 2014.