Medina e Mineirinho têm “apoio” de Kelly Slater pelo título mundial; entenda

A temporada de 2015 do Circuito Mundial de Surfe (WCT) pode terminar nesta quinta-feira nas ondas de Pipeline, no Havaí, e dois brasileiros estão na briga pelo título. Após cinco rounds, Adriano de Souza, o Mineirinho, e Gabriel Medina são as esperanças da “Brazilian Storm” (Tempestade Brasileira) em manter o caneco sob seu domínio após o troféu de Medina em 2014. Mas a dupla terá pela frente o australiano Mick Fanning, tricampeão do mundo na modalidade.

LEIA TAMBÉM:
Pipeline: Filipe Toledo é eliminado em bateria polêmica e dá adeus ao título

A janela para o término do campeonato vai até o dia 20, mas é esperada uma chamada nas ondas de Oahu, nesta quinta, a partir das 16h (horário de Brasília) para as quartas de final. Dos postulantes ao título, Medina é o primeiro a cair na água, logo na primeira bateria diante do veterano CJ Hobgood, que disputa sua última etapa como profissional.

Campeão mundial em 2001, o norte-americano teve que passar pela sensação local John John Florence para garantir vaga entre os oito melhores no Havaí. Já o brasileiro está sobrando. Desde o começo da etapa, o paulista de Maresias não deu chance aos adversários e vem mostrando o quanto está adaptado para domar os tubos em Pipeline. Tem sido nítido o quanto Medina está surfando solto e isso pode pressionar seus adversários diretos logo mais.

Outra esperança verde-amarela é Mineirinho. Depois de suar no começo da etapa quando teve que disputar a repescagem, logo no round 2, Adriano elevou seu nível e passou com autoridade pelos rivais nas fases seguintes.

Vale lembrar que o paulista do Guarujá chegou a Pipeline com bastante antecedência para se preparar da melhor forma possível visando o inédito título mundial. Nas quartas de final, Mineirinho ainda não sabe quem enfrentará. Na quarta bateria do dia, o brasileiro aguarda pelo vencedor do duelo entre o australiano Josh Kerr e o francês Jeremy Flores.

Finalmente Fanning é o terceiro candidato a sair do Havaí como campeão mundial. O australiano também tem mostrado ótima forma em Pipe e, principalmente, muita força mental. Na última quarta-feira, Mick ficou sabendo da morte de seu irmão, mas mesmo assim seguiu na competição.

No quarto round, o aussie deu show ao desbancar a lenda Kelly Slater e John John Florence avançando direto às quartas. Mas se venceu anteriormente, Fanning terá novamente que passar por Slater se quiser sonhar com o tetracampeonato mundial. Os dois fazem a segunda bateria do dia válida pelas quartas de final.

Mais do que nunca toda torcida dos fãs brasileiros deve ser por Slater. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o onze vezes campeão mundial prometeu eliminar Fanning. E aí, vai perder essa disputa? Fique ligado na ESPN + a partir das 16h.

————————- ★ ————————-

CHANCES DE TÍTULO

GABRIEL MEDINA

Para ainda sonhar com o título mundial, Medina precisa vencer a etapa em Pipeline, desde que Fanning não passe das quartas e Mineirinho seja eliminado, no máximo, na semifinal.

MINEIRINHO

Adriano conquistará o título mundial se vencer em Pipeline. Se for vice-campeão no Havaí, Mineirinho tem que torcer para que Fanning não passe da semifinal. Em caso de parar na semi, Adriano tem que torcer para que Fanning não passe das quartas e Medina não pode vencer em Pipe.

FANNING

Líder do ranking, o australiano se tornará tetracampeão mundial se vencer em Pipe. Se ficar em segundo lugar, garante o caneco se Mineirinho não passar da semifinal. Se cair na semifinal, Fanning fica com o título se Mineirinho também não for à final no Havaí. Em caso de derrota nas quartas de final, Mick precisa torcer para que Adriano também perca na mesma fase, e que Medina não vença a etapa.

————————- ★ ————————-

QUARTAS DE FINAL

1: Gabriel Medina (BRA) x C.J. Hobgood (USA)
2: Mick Fanning (AUS) x Kelly Slater (USA)
3: Mason Ho (HAW) x Adam Melling (AUS)
4: Adriano de Souza (BRA) x Jeremy Flores (FRA) ou Josh Kerr (AUS)



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.