Moradores da Pompéia reclamam: “o bairro está arrebentado por causa do Palmeiras”

Reportagem do UOL Esporte conversou com moradores da Pompéia, bairro no qual está localizado o Allianz Parque, e ouviu muitas reclamações por conta do grande número de pessoas que acessa o local em dias de jogos do Verdão. Presidente da associação de moradores diz que o Palmeiras arrebentou o bairro.

LEIA MAIS
Mercado da Bola 2016: Diretor do Palmeiras fala sobre negociação com Rafael Marques
Mercado da Bola 2016: Jean e Bruno Henrique vão para o Palmeiras, diz Rádio

Se na época do antigo Palestra Itália a média de público era de 20 mil pessoas, hoje o moderno Allianz Parque praticamente dobrou o número de pessoas que vão para a Pompéia acompanhar o jogo do Verdão, seja dentro do estádio ou nos bares ao redor, principalmente na Rua Palestra Itália, antiga Turiassú.

Conforme apurado pelo UOL Esporte, esse aumento de público fez com que a Associação Amigos de Vila Pompéia abrisse um inquérito civil pedindo que fosse analisado o impacto negativo no bairro em dias de jogos.

“Está bem pior. São mais torcedores agora. Não tem onde colocá-los. As pessoas ficam para fora. O bairro todo está arrebentado por causa do Palmeiras. Antes eram 20 mil, na final foram 60 mil”, disse Maria Antonieta de Lima e Silva, presidente da associação, ao UOL Esporte. “Os foguetes deixaram todo mundo louco. Os vidros tremeram. Nossas casas perderam valor. Ninguém mais consegue viver aqui, nossa vida virou um inferno”, resumiu a moradora.

Em 2015, 39 jogos foram realizados no Allianz Parque, sendo 38 do Palmeiras e um da Seleção Brasileira. Além de futebol, o estádio foi palco também d sete espetáculos musicais durante o ano.

SUBPREFEITURA DA LAPA

A Subprefeitura da Lapa, responsável pelo planejamento urbano na região, afirma que foi realizado um trabalho diferenciado para a final da Copa do Brasil, no último dia 2 de dezembro. “A operação para o jogo final da Copa do Brasil, entre Palmeiras e Santos, realizado no Allianz Parque, já contou com um conjunto de medidas pactuadas entre os órgãos públicos e os entes privados”, comunicou em nota.

Segundo o órgão público, houve um aumento do efetivo de policiais militares, uma patrulha própria da prefeitura e carros da Guarda Civil, bem como cerca de 160 funcionários trabalhando em três turnos nos dias 2 e 3 para a limpeza da região.

WTORRE

A WTorre, responsável pela operação do Allianz Parque, disse ao UOL Esporte que medidas estão sendo tomadas para 2016. “Nós temos participado das discussões para redução dos impactos na região e estamos dispostos a colaborar com o que for decidido nesses grupos, assim como já foi feito na partida contra o Santos”.

“Foi construída uma arena dentro de um bairro residencial. Tem de ter área de contenção. A Pompéia é um bairro antigo, de ruas estreitas. Não temos praças, não tem onde pôr tanta gente”, seguiu dizendo a presidente da Associação Amigos de Vila Pompéia. “Sou contra um estádio enorme no bairro. O povo foi sacrificado. A gente quer paz”, finalizou Maria Antonieta.

Veja galeria de fotos da torcida do Palmeiras no entorno do Allianz Parque, na final contra o Santos:

Foto: Divulgação / Allianz Parque