“Olho para o meu ranking e digo ‘que b…'”, afirma tenista brasileiro, 142º do mundo

Feijão
Reprodução/Fcebook

O tenista brasileiro João Souza, o Feijão, não está nada feliz com sua posição no ranking mundial da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais). Tanto que usará o a posição em que encerrou 2015 para tentar melhorar na próxima temporada.

LEIA MAIS:
Meligeni fica de fora de evento-teste do Centro Olímpico de Tênis e faz desabafo; confira
Especial: saiba o que esperar do tênis em 2016
Confira a lista dos melhores tenistas brasileiros do ano

 

 

 

Em entrevista ao blog “Saque e Voleio”, Feijão foi sincero em dizer que 2015 não foi um bom ano como jogador e que 2016 será melhor: “Positivo, não foi, mas experiências novas, sim. Mas positivo? Não. Com certeza, não. E óbvio que o ranking é o que conta, né? Ah, foi um ano em que eu aprendi muito, cara. É corrigir para 2016 não cometer os mesmos erros, né?”, disse o tenista brasileiro, número 142 do ranking de simples da ATP.

“O principal mesmo é o olhar meu ranking e ver 140… É uma motivação bem… Eu olho e digo ‘que bosta!'”, completou Souza.

Vale lembrar que, em abril, Feijão estava na 69ª posição na lista. Pouco antes disso, em março deste ano, o tenista brasileiro perdeu um confronto de quase 7 horas de duração (foram 6h42, o jogo mais longo da história de simples na competição) contra o argentino Leonardo Mayer, pela Copa Davis. O Brasil seria eliminado posterirmente, após revés de Thomaz Bellucci para Federico Delbonis.

“Depois de sete horas, perder aquele jogo, eu estava me sentindo também o pior cara do mundo. Isso me abalou demais, cara! Não foi fácil administrar essa derrota. Foi o Brasil que perdeu. Minha confiança foi do céu para o inferno. E aí eu não consegui administrar. Rolou uma indisposição, acabei me desfocando um pouquinho do tênis em si, né? Acabei perdendo um pouco do foco depois disso”, admitiu o tenista brasileiro, de 27 anos.

Crédito da foto: Reprodução/Fcebook



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.