Opinião: Como foi a troca entre Jadson e Pato para o Corinthians

Jadson
Foto: Getty Images

Em fevereiro do ano passado, Corinthians e São Paulo surpreenderam a todos ao promoverem troca entre jogadores. Sem prestígio em seus clubes, Jadson e Alexandre Pato viraram a casaca.

LEIA MAIS:
Mercado da bola 2016: Veja o resumo das NEGOCIAÇÕES do Corinthians
Quiz: Teste os seus conhecimentos sobre o título do Corinthians no Mundial de 2012

O Corinthians emprestou Pato ao rival até o final de 2015 e ficou com Jadson, que inicialmente assinou vínculo até dezembro de 2014, e depois ampliou o compromisso até agosto de 2016. O camisa 10 não vai cumprir o contrato integralmente, pois está sendo negociado com o Tianjin Quanjian, da China, por 5 milhões de euros (cerca de R$ 21 milhões). O Corinthians terá direito a 30% do valor, cerca de R$ 6,3 milhões.

A passagem do meia pelo Timão foi positiva. Deu um toque de qualidade ao meio de campo, como há muito tempo não se via no Parque São Jorge.

Viveu altos e baixos sob o comando de Mano Menezes em 2014 e encerrou aquela temporada com 42 jogos, sete gols e 12 assistências. Números que não deixaram de ser interessantes.

No começo da pré-temporada 2015, Jadson não esteve nos planos do técnico Tite, que acabou prestigiando o uruguaio Lodeiro durante a Florida Cup e no amistoso festivo contra o Corinthian Casuals. Quis o destino que às vésperas da estreia no Paulistão, contra o Marília, o meia deixasse o clube rumo ao Boca Juniors, abrindo espaço para retorno do ex-são paulino ao time titular.

O veterano de 32 anos iniciou 2015 voando, sendo o grande destaque alvinegro na primeira fase da Copa Libertadores quando a equipe obteve uma das melhores campanhas. No final de fevereiro, recusou proposta do chinês Jiangsu Sainty, alegando que queria conquistar um título pelo alvinegro.

Meses depois, o seu objetivo foi concretizado com a conquista do Brasileirão. Foi o jogador mais decisivo da competição, com 12 gols (terceiro artilheiro) e 13 assistências (líder). Voltou a receber proposta da China, mas desta vez aceitou.

Durante quase dois anos, o camisa 10 vestiu a camisa alvinegra em 217 oportunidades, fez 44 gols e deu 52 assistências. O Corinthians sentirá muita falta dele. Não vai ser fácil achar um nome à altura. Marlone, ex-Sport, que está chegando para o meio de campo, não tem as mesmas características. É um jogador que costuma jogar pelo lado esquerdo do campo, buscando o ataque. Em 2015, esta faixa foi ocupada por Malcom. Este assunto será abordado em outro post em breve.

Foto: Getty Images



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)