Opinião: meu pensamento sobre treinador de futebol

Créditos da foto: Reprodução/ Facebook oficial do Guangzhou Evergrande

A partir do momento que um filho nasce em nosso país, não são poucos os casos em que o pai pensa, vai ser jogador de futebol, vai ganhar muito dinheiro e um dia chegará a Europa. Agora são pouquíssimos os casos em que alguém nasce, não tem nenhuma ambição familiar para o futebol. Porém, a partir de um jogo assistido pela TV, pensa: quero ser treinador de futebol, chegar a uma Copa do Mundo e conquistar títulos relevantes.

LEIA MAIS:
Ranking Torcedores.com: veja quem são os maiores treinadores brasileiros no Século 21

Aqui em nosso país, muitos treinadores são ex-atletas profissionais, muitos deles seguem na carreira por oportunidade de continuarem vinculados ao futebol, outros por talento dentro de campo, alguns com busca pelo conhecimento, durante e após o encerramento da carreira.

Muitos outros são do meio acadêmico com muito conhecimento teórico e pouca vivência prática, experiência de vestiário, porém, bem capacitados com possibilidades de ensinar, educar e não apenas treinar por treinar. Em ambas as situações, ex-atleta e acadêmico, as experiências vividas são importantes para o desenvolvimento não só do Futebol, mas do Esporte em geral.

Muito se discute sobre o fato de não ter sido jogador e ser rejeitado por isso, mas muito se discute em não ter conhecimento para atuar na formação do atleta. Para mim, as duas são importantes e devem andar juntas, afinal, ser treinador é ser líder, exemplo, companheiro, amigo, profissional, mas acima de qualquer coisa ser um formador de grupo e ex-jogador ou apenas acadêmico, ambos podem se tornar grandes treinadores, vai depender da capacidade individual, das condições de trabalho e principalmente, do respeito de todos que estão envolvidos com a modalidade.

Espero que a profissão seja regulamentada, que alguns protocolos de formação sejam criados e executados, que os envolvidos sejam realmente capacitados a fomentar o Esporte, pois para quem quer ser treinador de futebol, muitos são os problemas, mas muitas são as conquistas e elas é que devem prevalecer ao final. Ainda, ser campeão ou rebaixado é o resultado final de um processo, o treinador que ama o que faz, está preocupado no quanto ele contribuiu individualmente e coletivamente para que o ser humano, antes do atleta seja melhor a cada dia.

Crédito da foto: Reprodução/ Facebook oficial do Guangzhou Evergrande



Bacharel em Esporte pela USP e Licença C da CBF para Treinadores. Pretendo ser técnico de futebol profissional, porém, amo o Esporte e acompanho todas as modalidades possíveis. Quero contribuir de alguma forma com o Esporte, minha paixão. Atualmente treinador de futsal e futebol universitario e agora, Colaborador no Torcedores.com. Rumo a mais experiências.