Opinião: país de campeões, país sem memória de campeões!

Reprodução/ Facebook oficial CBHb

Há quem diga que o mais importante no Esporte é competir. Em nosso país tem que ser campeão, senão não serve, precisa se manter campeão, senão é fracassado. Acompanho o esporte nacional há muitos anos, pelo menos uns 27 anos e como sou um apaixonado, não só pelo futebol, tenho orgulho dos nossos campeões, porém em nosso país isso não serve. Neste último mês, na verdade na última semana, dois campeões perderam e foram motivos de muita piada, pouca valorização pelos feitos realizados e irão cair no esquecimento momentâneo.

LEIA MAIS:
A vida de um “Chapolin-Jornalista” no Mundial de Handebol;
UFC 194: reação de um dos técnicos de José Aldo em nocaute é de impressionar; assista

O handebol feminino, atual campeão mundial, perdeu nas oitavas de final para a Romênia, todos os jogos assistidos no Sportv, uma partida em que nada funcionou bem: defesa errando muito no primeiro tempo e ataque falhando nos momentos decisivos no segundo tempo. Até então uma campanha invicta, três vitórias e um empate, porém, isso não foi relevante nesta partida. Na hora que não podia perder, perdeu e a busca pelo bicampeonato acabou. Uma ressalva, a atleta Duda Amorim receberá na final do torneio o prêmio de melhor atleta do último ano, ou seja, não fomos campeões, mas temos a melhor atleta da modalidade.

Já no UFC, acompanhei a luta no canal Combate, José Aldo perdeu a briga pelo cinturão no peso pena, a luta durou exatos 13 segundos e o campeão caiu, com ele uma invencibilidade de 10 anos, o último campeão do UFC de uma geração que viu seus campeões hegemônicos sendo destronados nos últimos três anos. A luta, realmente não aconteceu, foi tudo muito rápido, porém, mais rápido que o primeiro round, foi esquecer tudo que ele já fez, mais defesas de cinturão, mais tempo campeão de uma categoria, representante de um país ou “lutador do povo” como ele é conhecido pelos seus fãs.

Agora, esperar as próximas competições e torcer para que os campeões em suas modalidades quando perderem seus títulos não sejam esquecidos, não sejam menosprezados, não sejam tratados com falta de respeito, afinal, ser campeão não é fácil, se manter campeão mais difícil ainda, agora não ser lembrado pelos seus atos e conquistas pessoais ou coletivas é o que nós que amamos o Esporte devemos não deixar no esquecimento.



Bacharel em Esporte pela USP e Licença C da CBF para Treinadores. Pretendo ser técnico de futebol profissional, porém, amo o Esporte e acompanho todas as modalidades possíveis. Quero contribuir de alguma forma com o Esporte, minha paixão. Atualmente treinador de futsal e futebol universitario e agora, Colaborador no Torcedores.com. Rumo a mais experiências.