Opinião: Para onde vai o futebol brasileiro após o caso Aidar?

O futebol brasileiro sofre pela falta de profissionais competentes que tenham dignidade e ética. A política de bar nos clubes da primeira divisão do Brasileirão e também em clubes menores e de várzea impera. A divulgação do vídeo de Aidar (ex-presidente do São Paulo) hoje (17/12) e as crises de comando na CBF nos últimos dois anos mostram a fragilidade e a curta distância entre o cenário político brasileiro e o esporte.

LEIA MAIS
Ataíde divulga gravação que fez Aidar renunciar à presidência do São Paulo. Ouça e leia a transcrição!
“Eu não sou corrupto”, afirma Del Nero em depoimento à CPI do Futebol
Senado elege Romário como presidente da CPI do Futebol que investigará a CBF

A CBF deveria se espelhar em Ligas como a Norte-americana (MSL League Soccer), Inglesa (Barclays League) e a Alemã (Bundesliga) para fazer uma competição decente. Na Alemanha e na Inglaterra, não só por patrocinadores e cotas de televisão dão lucro para os clubes. O público comparece em peso para acompanhar os jogos e gera renda também.

Aqui, a cota paga pela dona dos direitos à transmissão dos jogos do Brasileirão é desigual. Flamengo e Corinthians receberam R$ 110 mi cada entre 2012 e 2015. Os outros clubes menos que R$ 80 mi. A Rede Globo, afirma que o modelo é positivo para os clubes brasileiros. O campeão do Brasileirão 2014, Cruzeiro recebeu R$ 45 mi nos últimos 4 anos, valor menor do que a metade paga a Flamengo e Corinthians.

Quando pessoas capacitadas assumirem cargos importantes nos clubes brasileiros, o futebol melhorará. Quando a corrupção e a vantagem forem deixadas de lado, o Brasil voltará a ter um campeonato competitivo e de alto nível.

Crédito da foto: Divulgação/ Site oficial do São Paulo