Pikachu, John Lennon e até Mensalão: os nomes e apelidos mais estranhos do futebol brasileiro

Divulgação/Paysandu

O futebol brasileiro é bom em muitas coisas, inclusive na hora de batizar os seus craques. Você já teve ter se perguntado se o narrador falou corretamente o nome de um jogador na hora da transmissão. Pois sim, provavelmente ele tenha falado. Nenhuma outra liga no mundo da bola tem nomes, apelidos e sobrenomes tão “diferentes” e criativos. Abaixo, selecionamos os melhores!

Yago Pikachu – Já se tornou famoso pela fama de artilheiro no Paysandu, e parece que vai carregar o mascote do Pokémon para o resto da carreira.

John Lennon – John Lennon… Silva Santos. Que nome! Já passou pelo futebol de Goiânia e pelo Botafogo, sempre jogando por música…

André Mensalão – E por incrível que pareça, ele é o novo reforço do TREZE, da Paraíba. O apelido foi dado por um treinador antigo quando o jogador se apresentou no treino com uma camisa do tal partido…

Walter Minhoca – Jogou no Ipatinga e no Flamengo. Ganhou o apelido pelo jeito de driblar no início da carreira.

Pipico – Brilhou no Macaé nessa temporada e já esteve no Vasco. A baixa estatura lhe rendeu esse nome.

Vampeta – Tudo bem que ficou famoso e quase ninguém mais se dá conta do apelido, que é a junção de “vampiro” com “capeta”.

Jorge Preá – Ex-atacante do Palmeiras, Jorge Preá assim ficou conhecido desde que um vizinho passou a chamá-lo na infância, já que o amigo corria muito.

Flávio Caça-Rato – A infância pobre e a residência humilde obrigavam Flávio a ter a companhia desses animais em sua casa. Aí já viu, né?

Adriano Michael Jackson – Jogou no Palmeiras e arrasava na dança a cada comemoração de gol.

Mahatma Gandhi – Lembram dele no Atlético Goianiense?

Neto Coruja – Jogou no Vitória e dizem as más línguas que nunca dormiu em campo.

Boquita – Passou por Corinthians e Portuguesa… Deixou a desejar no apelido, confere?

Wellington Saci – O grande personagem do Sítio do Pica-Pau Amarelo não poderia faltar.

Eli Sabiá – Um passarinho me contou que até jogou no Santos…

Álvaro Búfalo – Jogou no Inter e pelo estilo “volantão” justificou a alcunha.

Foto principal: Divulgação/Paysandu.



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.