Nobre manda recado para Crefisa: “Caminharemos com as próprias pernas em 2016”

Crefisa
Foto: Divulgação/Palmeiras

Nas últimas semanas foi divulgado que a relação entre o Palmeiras e sua principal patrocinadora, a Crefisa, estariam em pé de guerra. O estopim teria sido a intenção do clube, junto da fornecedora de material esportivo (Adidas), de fazer uma camisa comemorativa da década de 1990, com o nome da Parmalat, patrocinadora do Verdão na época, confeccionado no uniforme. Porém, o presidente do clube, Paulo Nobre, tratou de acabar com a discussão.

LEIA MAIS:

Após chapéu no Santos, novo reforço do Palmeiras diz que família pesou na escolha

Não dá para vencer todas! Palmeiras perde disputa por Vitinho com o Inter

Dirigente do Palmeiras comemora 2015 e crava: “Prontos para uma nova era de conquistas”

Em entrevista ao jornal “Estadão”, o mandatário do time alviverde minimizou qualquer ruído na comunicação entre ambos. “A relação patrocinador e patrocinado cabe só às duas partes. Estou muito satisfeito e agradecido a todos os patrocinadores. Sem eles, dificilmente a gente teria chegado onde chegamos”, disse Nobre, que revelou não haver necessidade da Crefisa investir na compra de jogadores para o clube.

“Eles pagam pontualmente um patrocínio maravilhoso. Não é porque eles têm muito dinheiro que tem a obrigação de investir no clube. Daqui a pouco é capaz de torcedor cobrar eles por isso”, afirmou.

“Enquanto o Palmeiras conseguir caminhar com as próprias pernas, não é justo pedir ajuda para o patrocinador”, finalizou Paulo Nobre.

Em 2015, com a ajuda da Crefisa, o Palmeiras trouxe o atacante Lucas Barrios, além de ter adquirido os direitos do volante Thiago Santos e do zagueiro Vitor Hugo.

Crédito da foto: Divulgação