VIDEO: Mineiro e Ceni lideram jornada triplamente gloriosa do São Paulo

Nesta sexta-feira (18) recordamos os exatos dez anos de um jogo que rendeu ao São Paulo o seu tricampeonato mundial de clubes. A partida disputada em Yokohama (JAP) terminou com o placar de 1 a 0 sobre o Liverpool (ING) e marcou o ingresso definitivo de Rogério Ceni no panteão dos grandes ídolos da história do Tricolor Paulista.

O gol de Mineiro, ainda no primeiro tempo, provocou a ira dos Reds, que atacaram de forma alucinada atrás do gol de empate ou mesmo da virada, que nunca veio e marcou a geração liderada por Gerrard.

Mineiro e Ceni lideram jornada triplamente gloriosa do São Paulo

Os campeões da América do Sul e da Europa entraram no gramado do estádio de Yokohama na noite de 18 de dezembro em que decidiriam quem seria o campeão mundial de 2005 sob o novo formato determinado pela FIFA, em que os campeões continentais disputariam a taça e não mais apenas europeus e sul-americanos como tinha sido até o ano anterior, quando o Porto (POR) bateu nos pênaltis o Once Caldas (COL).

Após o apito inicial de Benito Archundia, o time inglês teve mais movimentação em campo, mesmo tendo apenas Morrientes como atacante isolado, e após os 15 minutos iniciais, o São Paulo equilibrou as ações com muitas trocas de passes.

Mineiro quieto, trabalho feito

Aos 26 minutos, Fabão fez um lançamento para o ataque na direção de Aloísio, que lançou para a chegada de Mineiro. O camisa 7, bem discreto, saiu na frente de Pepe Reina e mandou para o fundo da rede inglesa. São Paulo 1 a 0.

O gol foi o primeiro que o Liverpool tomava em 11 jogos e a partir dali começou uma das maiores pressões vistas em todos os tempos de jogos entre europeus e sul-americanos. Luis Garcia cabeceou duas vezes, uma delas no travessão. Kewell recebeu aos 35 lançamento de Gerrard e mandou rente a trave de Rogério Ceni e aos 38, Luis Garcia subiu mais que a zaga e cabeceou para fora.

Após o intervalo, o Liverpool voltou disposto a campo, querendo o empate e logo aos sete minutos, Gerrard cobrou falta que exigiu uma das mais plásticas defesas da carreira de Ceni.

Três impedimentos que mantiveram o curso da história

Os Reds seguiam no ataque e aos 15, Gerrard cobra falta para um cabeceio certeiro de Garcia. Porém, o tento foi invalidado por um impedimento marcado. Depois tivemos uma bicicleta para fora de Morrientes e outro chute de Garcia, até que veio o segundo impedimento, aos 21, quando Gerrard, o especialista de bolas paradas do Liverpool cobrou escanteio e Hyppia mandou para o fundo da rede são-paulina. No entanto, novo impedimento anotado.

A pressão inglesa era realmente insana. Se os gols tivessem sido validados, o placar estaria naquela altura 2 a 1 e o Tricolor Paulista não conseguia trocar passes. No entanto, o placar teimava em exibir o resultado de 1 a 0. A terceira vez que o ataque da terra dos Beatles estava fora de jogo aconteceu aos 44, quando Garcia acionou Peter Crouch e Pongolle completou de primeira para fazer o gol. Contudo, a bandeira subiu de novo indicando impedimento.

Apenas três minutos mais de jogo e o árbitro mexicano indicou o fim de jogo. Festa do São Paulo no Japão pela terceira vez na sua história.

Ficha Técnica da Decisão do Mundial de Clubes de 2005

SÃO PAULO (BRA) 1 x 0 LIVERPOOL (ING)

Local: estádio Internacional de Yokohama, em Yokohama (Japão)
Árbitro: Benito Armando Archundia (México)
Auxiliares: Arturo Velázquez (México) e Héctor Vergara (Canadá)
Cartão amarelo: Lugano (SP)
Público: 66.821
Gols: Mineiro, aos 26min do primeiro tempo

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Fabão, Lugano e Edcarlos; Cicinho, Mineiro, Josué, Danilo e Júnior; Amoroso e Aloísio (Grafite)
Técnico: Paulo Autuori

LIVERPOOL
Reina; Finnan, Carragher, Hyypia e Warnock (Riise); Sissoko (Pongolle), Gerrard, Xabi Alonso, Luís Garcia e Kewell; Morientes (Crouch)
Técnico: Rafa Benítez