Você sabia? Melhor jogador da final do Mundial, Rogério Ceni jogou machucado contra o Liverpool

Arquivo Histórico do São Paulo FC

 

Hoje o torcedor são paulino comemora os dez anos da conquista do tricampeonato mundial no Japão. Na decisão contra o Liverpool, como todos sabem, brilhou a estrela do goleiro e capitão Rogério Ceni. Com grandes defesas, o arqueiro ajudou a garantir a terceira estrela vermelha que hoje está bordada no peito da camisa tricolor. De quebra, Rogério foi eleito o melhor jogador da partida e do Mundial de 2005, atingindo o auge na carreira.

Poucas pessoas sabem, porém, é que o capitão são paulino jogou a decisão com uma lesão de menisco no joelho esquerdo. Tal fato foi relatado pelo próprio goleiro no documentário Soberano 2 – A Heroica Conquista do Mundial de 2005. “Nós treinamos lá todos os dias com quase dois graus de temperatura, gramado duro. E eu tava com uma dor no joelho, que já estava me incomodando e treinando faltas, dois dias antes do jogo, acabou o treino e eu fiquei treinando faltas, e numa das faltas eu boto o pé pra fazer o giro pra bater e eu senti um estalo e começou a criptar o joelho né. E com muita dor”, afirmou Rogério, na época.

Tão logo, o capitão chamou o médico especialista em joelhos e superintendente de futebol do São Paulo na época, Marco Aurélio Cunha para falar sobre a lesão. “Eu falei, Marco, o menisco foi pro saco”.

Marco Aurélio Cunha chegou, fez os exames e sabendo da lesão, logo tratou de acalmar o capitão, reforçando e, ao mesmo tempo, tentando mexer no psicológico do goleiro, que, após a chegada no Brasil, fariam fortalecimento e capitão estaria pronto para começar o campeonato paulista. “(Nos exames) senti aquele estalido, aquele ressalto e pensei: lesão de menisco”.

“Mas é hora de conversar disso? Claro que não, tem coisa que você não fala né, isso aí a gente resolve na volta, agora tem o jogo do Liverpool”, lembra Marco Aurélio no longa-metragem.

Sem poder fazer o movimento de levantar rápido com a perna dobrada, Rogério foi para o jogo no sacrifício. “E aí eu dei uma segurada, fui fazendo gelo e tratamento com os fisioterapeutas no dia 17, dia que antecedeu o jogo. E eu fui pro jogo sabendo dessa limitação e da dor”, revela Ceni.

Para muitos são paulinos, mesmo machucado, Rogério Ceni fez naquela noite de 18 de dezembro de 2005, em Yokohama, sua maior partida com a camisa do São Paulo.

Foto /  Arquivo Histórico do São Paulo FC



Jornalista. Cervejeiro e Tricampeão Mundial. Fã da série Supernatural e de quem não se mete na vida alheia.