6 fatos que explicam porque a suposta crise entre Palmeiras e Crefisa é pura “balela”

Palmeiras crefisa
Crédiso de imagem: Divulgação

No início do ano, a chegada da Crefisa como patrocinadora da Palmeiras fez com que os torcedores imaginasse que o clube pudesse voltar a viver uma fase como foi com a Parmalat, na década de 90. Contratações, ações e dinheiro ajudaram a diretoria Alviverde a restruturar a equipe. Leila Pereira, dona da financeira e Faculdade das Américas, já estava sendo cogitada até mesmo para a vaga de Paulo Nobre, após seu mandato.

————————- ★ ————————-

LEIA TAMBÉM
Especial: Relembre os patrocínios que marcaram a história do Palmeiras

————————- ★ ————————-

Mas em novembro, a dona da Crefisa gerou polêmica ao demonstrar irritação com a diretoria do Palmeiras e chegou a ameaçar a parceria com o clube. Relembre como começou os rumores de uma suposta crise entre a financeira e o Palmeiras.

As polêmicas teriam abalado a relação dos presidentes da Crefisa com Paulo Nobre, o que teria ganhado força após o título da Copa do Brasil. A Leila Pereira também teria demonstrado irritação com o espaço que suas marcas ocuparam na camisa comemorativa do clube na festa feita ainda no gramado. Além de ter ficado chateada por não ser convidada para a festa realizada após a conquista.

Mas será que existe mesmo alguma crise entre Palmeiras e Crefisa/FAM? Nós listamos alguns fatos que comprovam que tudo isso é pura “balela”.

      1. A Crefisa nunca esteve focada APENAS em visibilidade, e quem garantiu isso foi a própria Leila Pereira, em entrevista ao site “Sep News”. “Nunca disse que trocaria o Palmeiras por qualquer outro clube. Apenas destaquei que nossa relação era bem mais além do que a de simples investidores. Se a Crefisa patrocinasse um clube apenas por visibilidade, teríamos procurado um de mais apelo, segundo a mídia. Pegaram uma frase isolada e colocaram como manchete.”
      2. Falando em visibilidade e exposição, desde o início do ano a Crefisa ganhou MUITO ao expor sua marca na camisa de um dos clubes que mais chamou atenção em 2015 com contratações, final do Paulistão, campanha no Brasileirão e com o próprio título da Copa do Brasil. E não seria uma camisa comemorativa que poderia abalar a relação entre empresa e clube.
      3. Em meio a suposta crise, a Faculdade das Américas está expondo em sua sede, a taça da Copa do Brasil, e durante a inauguração da exposição, Leila falou sobre sua relação pessoal com o Alviverde. ” Somos patrocinadores e também apaixonados pelo Palmeiras, é um prazer enorme para nós. O Palmeiras só deu sorte a nós e acho também que a FAM e a Crefisa deram força ao Palmeiras?”
      4. Na entrevista concedida ao ‘Sep News’, Leila falou sobre a possibilidade de ajudar o clube na contratação de reforços para 2016. “Se formos procurados, vamos ajudar dentro do possível. Se tem alguém competente no Palmeiras, se chama Alexandre Mattos, e só ele sabe quem chega e quem sai.”
      5. Em entrevista à Gazeta Esportiva, a presidente da financeira falou sobre o carinho que o torcedor do Palmeiras tem pela Parmalat, e deu entender que pretende fazer mais que a empresa de laticínios. “O palmeirense vai amar mais a Crefisa e a FAM do que amou a Parmalat. Não tenho dúvida. Vivemos do presente. O passado foi glorioso, mas o palmeirense vai amar mais a Crefisa e a FAM. Se depender do patrocinador, sem dúvida”, garantiu.
      6. Para finalizar, a empresária ainda fez questão de exaltar a torcida do Alviverde. “Não tem nada mais bonito que a torcida do Palmeiras. Fico sensibilizada. Estamos aqui para colaborar para que o Palmeiras seja maior a cada dia”.

 

Uma coisa é certa: o Palmeiras é gigante com ou sem a Crefisa. Que por sua vez, é uma empresa muito bem consolidada no mercado com ou sem o clube Alviverde. Mas é válido reconhecer que em menos de um ano, clube e empresa se ajudaram e cresceram muito, cada um em seu respectivo segmento.

LEIA MAIS:
Mercado da bola: 13 jogadores que cairiam como uma luva no Palmeiras em 2016

12376070_461794150670593_2635117238612296363_n