Yohansson do Nascimento dá aula de superação em programa da Globo

Crédito da foto: Reprodução/Facebook oficial

O velocista paralímpico Yohansson do Nascimento foi um dos convidados de Flávio Canto no programa Corujão do Esporte, exibido nas madrugadas de quinta-feira, na TV Globo. O velocista relembrou momentos da carreira e disse que não faz diferença não ter as duas mãos.

LEIA MAIS:
Paula Pequeno admite receio sobre a Olimpíada no Rio de Janeiro

Yohansson Nascimento participou dos Jogos Paralímpicos de Pequim-2008, onde conquistou uma prata no revezamento 4×100 e um bronze nos 200m rasos, e nos Jogos de Londres-2012, onde garantiu um ouro nos 200m rasos e uma prata nos 400m rasos.

Na capital inglesa, o corredor alagoano viveu o momento mais dramático de sua carreira. Na final dos 100m, o atleta se lesionou e, mancando, cruzou a linha de chegada 1m19s atrás do medalhista de ouro, o chinês Xu Zhao.

“Eu fui ali pra dar o meu 100%. Eu tinha que cruzar aquela linha de chegada de qualquer jeito”, afirmou Yohansson. “O chinês que ganhou fez um tempo maior do que o que eu tinha feito na semifinal”, lamentou.

Yohansson ainda afirmou que não faz diferença nenhuma para ele não ter as duas mãos. “Eu faço de tudo. Na infância, eu rodava peão”, disse.

O comentarista de vôlei da TV Globo, Giba, perguntou ao velocista se ele tinha ideia de como inspirava pessoas com sua história. “De verdade, eu não tenho ideia. Eu sei que uma palavra que dou pra uma pessoa poder mudar o seu ânimo, o seu dia”, disse.

“Dificuldade eu tenho, você tem. Eu poderia estar em casa lamentando: ‘com tantas pessoas do mundo, por que eu fui nascer sem as mãos?’ Eu quero motivar uma nação”, concluiu.

Durante a conversa, Giba puxou salva de palmas para o campeão paraolímpico.

Crédito da foto: Reprodução/Facebook oficial



Diogo Marcondes é Jornalista graças a Deus e acompanha futebol desde os primeiros 90 minutos de vida. Torce, não distorce e vai se contorcer para escrever matérias interessantes para todos os Torcedores. Atualmente, escreve para o Blog Mural, hospedado no site da Folha de S. Paulo.