5 dramas que só os tenistas amadores já viveram

Quem vê o tenista se aproximando da quadra com a sua blusa de marca, raqueteira, munhequeira e boné pode pensar que, nesse esporte, tudo corre às mil maravilhas. Ledo engano. E os amadores que o digam. Abaixo, listamos cinco dramas que todo o tenista amador, os aprendizes de Novak Djokovic e Roger Federer, certamente já vivenciaram. Confira

1) QUADRA MOLHADA

Marcou uma partidinha com os amigos, pegou a raquete, vestiu o fardamento, chegou no clube e… quadras molhadas e inacessíveis. Diferentemente do futebol e de outros esportes, o tênis não pode ser jogado na chuva e nem em quadras úmidas. Tem que esperar secar, jogador!

QuadrasMolhadas

 

2) ADVERSÁRIO “CEGO”

Convenhamos: “cego” é bondade nossa. A palavra é bem outra e todas sabem qual é. E é destinada àqueles jogadores que gostam de dar uma bola fora que todo mundo viu que foi dentro. É mole? Partida de fim de semana não tem juiz. Miaaaau!

boa ou fora

 

3) ARREBENTOU A CORDA!

Aí você está lá fazendo o jogo da sua vida, levando para o tie-break contra um adversário duríssimo, bate uma direita toda torda e, puft, arrebenta a corda da raquete. E agora? É bom que a reserva ajude…

cordas

 

4) CADÊ A BOLINHA?

Você não está no US Open e em nenhum outro Grand Slam que te dão uma centena de bolinhas e mais os boleiros para te alcançá-las. Você está no clube da sua cidade, jogando contra o seu amigo e tem as três bolas do tubo. Só. Nada mais. E quando uma delas some? Olha no lado da rede, nada. Na valeta ao fundo, nada. Fora da grade, nada… Bom, termina com duas mesmo!

bola-de-tenis-na-quadra_2530894

 

5) QUANTO TÁ, HEIN?

Aí você tá lá na reta final do jogo, cansado, pensando no próximo ponto e sofre um branco: quanto está o jogo? Pergunta para o rival do outro lado da rede, e ele não também sabe. Ainda se desse para perguntar para o juiz…

ten_johnisner2_get620

Crédito das fotos: Reprodução/Getty Images/ATP Tour.



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.