Djokovic tem chave “boa” em busca do hexa na Austrália; Wawrinka, Federer e Nadal correm por fora

Reprodução/Facebook

Todos contra Novak Djokovic. Assim poderia ser resumido o primeiro Grand Slam do ano, que tem início na madrugada deste domingo (17). O sérvio, campeão do Australian Open em 2008, 2011, 2012, 2013 e 2015, demonstra a cada torneio que o seu jogo atingiu um nível incrível de perfeição, que obriga os seus rivais a se reinventarem em quadra para tentar vislumbrar alguma chance diante do número 1 do mundo.

Como se ainda precisasse, o sorteio da chave masculina “sorriu” para Djokovic. Na estreia, ele enfrenta a jovem promessa sul-coreana Hyeon Chung, de 19 anos e 51° colocado no ranking da ATP. Se confirmar o favoritismo e for avançando, Nole não terá cabeças de chave dos mais perigosos até a semi. Enfrentaria Seppi na 3ªR, Simon/Karlovic nas oitavas, Tsonga/Nishikori/Paire nas QFs. Na semi, aí sim, poderia enfrentar Roger Federer – rival que venceu nas finais de Wimbledon e US Open em 2015.

Federer, por sua vez, tem um caminho bem mais acidentado em busca do quinto título na Austrália. Na primeira rodada, ele tem pela frente o desconhecido Nikoloz Basilashvili, mas na segunda pode ter o perigoso ucraniano Alex Dolgopolov e na terceira a promessa búlgara Grigor Dimitrov. Nas quartas, Federer teria Tomas Berdych, e na semi, Novak Djokovic.

Stan Wawrinka, a pedra no sapato de Djokovic nos últimos tempos, deverá ter duas rodadas iniciais tranquilas. Ele deverá ser testado mesmo apenas na terceira série, quando poderá pegar o norte-americano Jack Sock. Wawrinka foi campeão do Australian Open em 2014, ao bater Rafael Nadal na decisão. Em uma eventual quartas de final, o suíço reencontraria Nadal e poderá ter Andy Murray na semi.

Já Rafael Nadal iniciará a campanha de cara contra o compatriota e perigoso Fernando Verdasco, rival da semifinal histórica de 2009, vencida por Rafa. Nadal poderá ter Milos Raonic nas quartas – canadense que venceu o torneio de Brisbane recentemente sobre Roger Federer. Murray, cabeça 2, quer tentar o seu primeiro título na Austrália. Na estreia, pega o alemão Alexander Zverev.

Reprodução/Facebook



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.