Entenda como Marcelo Oliveira tem um Palmeiras bem mais versátil em 2016

Palmeiras
César Greco/Ag. Palmeiras

O elenco do Palmeiras finalizou, no último sábado, a primeira parte de sua pré-temporada e o técnico Marcelo Oliveira deixou Itu com a certeza de que tem em mãos um plantel com mais opções e alternativas táticas do que comparado em 2015.

LEIA TAMBÉM:
Descubra por que o palmeirense vai curtir a próxima tatuagem de Dudu
ENQUETE: o Palmeiras precisa de outro camisa 10 para 2016?
5 jogadores da base que poderiam suprir a ausência do Cleiton Xavier no Palmeiras
Mercado da bola: 10 meias que o Palmeiras pode trazer após lesão de Cleiton Xavier

Ao contrário do que aconteceu no começo do ano passado, Alexandre Mattos não foi ao mercado para contratar mais de dois times de jogadores. Em 2015, foram exatos 25 reforços trazidos para a Academia de Futebol. Neste começo de ano, porém, o Verdão soube escolher pontualmente. Trouxe atletas para posições carentes e repôs outros setores em que dispensou algumas peças.

ZAGA

Na defesa, saíram Jackson e Victor Ramos e vieram o experiente Edu Dracena (foto abaixo) e a incógnita Roger Carvalho, ex-Botafogo. A expectativa, que até se concretizou isso nos primeiros coletivos em Itu, é que Dracena seja o titular junto com Vitor Hugo.Captura de Tela 2016-01-17 às 10.49.00

A liderança do beque, ex-Santos e Corinthians, pode trilhar o caminho do clube ao longo da temporada, principalmente na Libertadores, competição que Edu venceu em 2011. Roger, na teoria, é o reserva imediato, porém tem na cola Leandro Almeida e o jovem Thiago Martins, cria da base alviverde que fez uma bela Série B pelo Paysandu.

MEIO-CAMPO

Começamos por Jean (foto abaixo). Meio-campista de origem, o jogador ex-Fluminense joga melhor como segundo homem do setor, mas pode muito bem recuar para proteger a defesa na função de primeiro volante. Não satisfeito, ainda pode atuar como bom lateral-direito, posição que o levou à seleção brasileira.Captura de Tela 2016-01-17 às 10.48.42

Aliás, o setor de volantes do Palmeiras em 2016 é, sem dúvida, um dos melhores do Brasil. Gabriel e Arouca, dupla do ano passado, permanece firme e forte, porém o primeiro não deve começar entre os titulares pois está em processo final de recuperação de cirurgia no joelho. O jovem Matheus Sales foi uma grata surpresa no final da temporada passada e tem crédito com Marcelo para começar entre os 11 principais.

Só que o garoto de 20 anos terá que tomar cuidado com Jean e o também jovem Rodrigo, que foi uma das revelações do Goiás. Dos três, Jean é quem tem mais “cancha” – já foi campeão brasileiro, disputou a Libertadores -, mas tanto Matheus quanto Rodrigo têm mais pegada no círculo central, isso sem contar que ambos sabem sair jogando e apoiam o ataque tão bem quanto Jean.

O Verdão ainda tem Thiago Santos como outra opção para a posição, porém o jogador faz mais perfil de um primeiro volante brigador. Sua saída de bola é pior dos seis volantes do Palmeiras atual, mas bem melhor do que Amaral e Andrei Girotto, que eram os reservas imediatos em 2015.Captura de Tela 2016-01-17 às 10.48.28

Para a armação, o Palmeiras trouxe Régis (foto acima), ex-Sport, e Moisés, que veio do futebol da Croácia. Quem deve começar jogando, todavia, é Robinho, o titular da posição em 2015. Pela qualidade e bagagem, a torcida esperava que Cleiton Xavier ocupasse o setor, porém o camisa 10 atualmente briga mais contra as lesões do que contra os colegas do setor. Fellype Gabriel é outro que não sai do departamento médico.

Mas se em 2015 Marcelo Oliveira tinha dificuldade para fazer seu time mudar a forma de jogar por ter atletas parecidos taticamente, a situação mudou, principalmente pelos novos jogadores. Se quiser reforçar mais a marcação, Jean, ele de novo, pode ser a solução.

Robinho não está dando conta na armação? O Palmeiras pode ficar mais criativo com o canhoto Régis ou ter mais equilíbrio com Moisés. Caso a equipe precise de mais cadência em um momento de vantagem, o incansável Zé Roberto ainda pode ajudar.

ATAQUE

Na frente, o trio tradicional de 2015 formado por Gabriel Jesus, Dudu e Lucas Barrios deve permanecer, porém os reservas estarão atentos para qualquer queda de produção. Rafael Marques é o suplente direto de Gabriel e pode jogar em diversas funções, tanto enfiado como mais aberto pelas pontas. Se bobear, faz a de Barrios também. Kelvin, se renovar, é outro que pode ajudar, principalmente na rapidez pelos lados.

Revelação do Goiás, Erik (foto abaixo) vem para disputar posição no Palmeiras com Dudu. Ambos são rápidos e podem ajudar dando velocidade ao ataque, só que Erik terá que, ao contrário do que fez no Esmeraldino, servir mais os companheiros.Captura de Tela 2016-01-17 às 10.49.11

No Centro-Oeste, ele era a principal referência, mas agora seus dribles velozes e as flutuações por todos os lados do ataque poderão ajudar e muito a conclusão de Lucas Barrios, mais centralizado. Alecsandro será o principal concorrente do paraguaio na posição, isso se o xodó da torcida Cristaldo não continuar no Palmeiras em 2016.

Curtiu a matéria? Siga o autor no Twitter: @fontes_matheus.
Facebook: Matheus Martins Fontes.

Fotos: César Greco/Ag. Palmeiras



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.