Cristiano Ronaldo admite que pode jogar nos Estados Unidos, mas nem sempre pensou assim

O astro do Real Madrid, que acaba de disputar o título de melhor jogador do mundo, a Bola de Ouro (acabou ficando em segundo atrás de Messi), admite que pode jogar um dia na Major League Soccer (MLS), principal liga profissional de futebol dos Estados Unidos.

LEIA MAIS:

MLS: Time de Kaká não poderá estrear seu novo estádio em 2016

Mercado da bola 2016: Time da MLS anuncia contratação de zagueiro do América-MG

Mercado da bola: Ex-jogador do Manchester United pode se mudar para a MLS em 2016

Em entrevista à revista “Body Issue”, em que foi capa ao da modelo brasileira Alessandra Ambrósio, o craque português disse que considera a possibilidade de atuar no país norte-americano.

“Quem sabe no futuro haverá uma boa chance de eu atuar lá [nos EUA]. Nunca se sabe, mas é algo interessante. Eu considero essa possibilidade, claro, porque, como eu disse, o futebol [jogado no país] tem se tornado cada vez melhor… Eu penso que isso, quem sabe, será possível”, disse o jogador, de 30 anos, que já foi eleito o melhor jogador do mundo por três vezes.

Entretanto, em novembro do ano passado, em entrevista ao canal ITV, da Inglaterra, Ronaldo afirmou que pretendia ainda jogar por mais seis ou sete anos e esperava encerrar a carreira em alto nível, descartando atuar nos Estados Unidos.

“Isso não quer dizer que é ruim jogar em ligas como a dos Estados Unidos, Qatar ou Dubai. Mas eu não me vejo atuando por lá”, continuou Ronaldo.

Atualmente, é muito comum que grandes jogadores terminem suas carreiras jogando fora da Europa, como é o caso de Pirlo, Lampard, Drogba, Gerrard e Kaká, que atuam na MLS, nos Estados Unidos, além de Xavi, lenda do Barcelona, que atua pelo Al Sadd, do Qatar.

Em março deste ano, a revista norte-americana “Sports Illustrated” divulgou que o maior artilheiro da história do Real Madrid, encerraria a carreira nos Estados Unidos e que moraria em Los Angeles.

Crédito da foto: Getty Images