Opinião: Análise do Australian Open 2016

Estamos às portas do inicio à jornada pelo título do primeiro Grand Slam do ano, o Australian Open. Entre os favoritos a levantar o troféu do torneio está o sérvio Novak Djokovic, detentor de três títulos de Grand Slam dos quatro possíveis em 2015 – ele perdeu apenas em Roland Garros para o suiço Stan Wawrinka.


LEIA MAIS:

Fognini e Bellucci são as principais atrações do Brasil Open; confira a lista

Número 2 do mundo, o britânico Andy Murray tem sua porcentagem de favoritismo nas casas de apostas, mas sabe que terá que jogar um grande tênis para derrotar o número 1 do mundo e grande favorito Djokovic em uma possível final.

Roger Federer tem maior prestígio entre o público tenista que o britânico, mas sua colocação no ranking, 3, lhe dá uma chave mais complicada até a final.

Correndo por fora estão Stanilas Wawrinka e Rafael Nadal, que não tiveram um grande ano em 2015 – melhor para o suiço, que faturou Roland Garros quebrando a hegemonia do espanhol no torneio. Os números 4 e 5 do mundo, respectivamente, sabem que terão que primeiro superar a si próprios para terem alguma chance de sagraram-se campeões do torneio.

Qualquer outro vencedor poderemos considerar como grande zebra. Afinal, há anos o mundo do tênis têm sido dominado pelos cinco melhores tenistas ranqueados pelo ATP.

Grandes partidas e muita emoção é o que teremos entre os dias 18 e 31 de janeiro. Você que é fã de tênis não pode ficar fora dessa!

Crédito da foto: Getty Images



Sou estudante de jornalismo e apaixonado pelo esporte, principalmente o Futebol e Tênis. Busco a cada dia me aprimorar e me tornar o melhor no que faço. Isso tudo para que o fã de esporte receba o melhor conteúdo sobre seu esporte ou time do coração.