Razões pelas quais Emerson Fittipaldi é tão querido

Crédito da foto - Twitter

O eterno bi campeão de Fórmula 1, eterno vencedor das 500 Milhas de Indianápolis e campeão da Fórmula Indy, Emerson Fittipaldi é um cara querido e amado por todos, e aqui no Torcedores.com vamos analisar alguns do motivos para tal.

Desbravador

Emerson Fittipaldi acima de tudo foi um desbravador. Foi para a Europa com um sonho e assim o fez. Com seu jeito sereno e sua voz mansa, se via na pista era um piloto que era inteligentíssimo, um Lobo, o que rapidamente chamou a atenção da Fórmula 1 e em 1970 estreou pela Lotus. Tendo passado pela Fórmula 1, tendo sido bi campeão, tendo criado junto de seu irmão Wilson a Copersucar Fittipaldi, já com status de gênio dentro do automobilismo, em 1984 tem um novo começo na Fórmula Indy. Conseguiu o mesmo sucesso que na Fórmula 1 e alcançou o status de lenda viva.

Protagonizou uma das mais belas entrevistas já feitas

Galvão Bueno entrevistou Emerson em seu “Histórias com Galvão” no SPORTV pelos idos de 2010. Dois pontos chamaram muito a atenção nesta entrevista. A humildade quando Galvão fala que ele é o pai de todos nós e sua emoção quando Galvão fala que RJochen Rindt bateu no carro que era de Emerson, em Monza. O piloto foi as lágrimas e Galvão foi ao intervalo, visivelmente emocionado.

Entrevista em seis partes abaixo

Carisma

PS: Abaixo a opinião do colaborador

Eu não conheço ninguém que fale mal de Emerson ou que tenha alguma passagem que o brasileiro tenha sido deselegante, seja na Fórmula 1 nos anos 70/89, seja na Indy ou fora das pistas.

Campeão da Fórmula, da Fórmula Indy e das 500 Milhas de Indianápolis

Bi campeão da Fórmula 1 nos anos de 1972 de Lotus e em 1974 de Mclaren. Teve como adversário pilotos do calibre de Graham Hill, Carlos Reutmann, Jean-Pierre Beltoise, Jacky Ickx, Mario Andretti, Ronnie Peterson, Niki Lauda, Chris Amon, Peter Revson, Tim Schenken, Jody Schekter, François Cevert, Patrick Depaller, Henri Pescarollo, Jackie Stewart e Jose Carlos Pace. Ou seja, uma geração de ouro com muitíssimos nomes respeitadíssimos. Conquistar um título já era difícil, imagine conquistar dois?! Dois, sendo que o com a Mclaren em 74 foi notavelmente mais difícil.

Como já dito, em 1984, aos 38 anos, foi com mala e tudo para os Estados Unidos iniciar sua carreira na IndyCar pela equipe Wit Racing. Foi para a Patrick no ano seguinte e teve como seu auge a temporada de 1989, onde foi campeão e venceu após uma batalha épica contra Al Unser Jr, ás 500 milhas de Indianápolis. Voltaria a vencer ás 500 milhas em 1993 após ultrapassar de maneira antológica Nigel Mansell a poucas voltas do final.

Crédito da foto – Twitter



Cara simples, amante do esporte a motor e que curte outros esportes. Dono do canal Tio Duh no youtube, voltado para gameplay de clássicos de 8,16 e 32 bits. Amante do esporte a motor, considera escrever uma forma de estar mais próximo das pistas!