Tradicional torneio de rúgbi da Europa, Six Nations começa neste fim de semana

Créditos: SixNations/ Reprodução

O maior torneio de seleções da Europa, e o mais antigo do mundo do rúgbi começará neste sábado (06). O “Six Nations” contará com Inglaterra, Irlanda, País de Gales, Escócia, França e Itália, que iniciam sua caminhada para a Copa do Mundo de 2019, no Japão.

LEIA MAIS:

COPA DO MUNDO DE RUGBY 2015: CONHEÇA AS POSIÇÕES DO JOGO

A competição é uma ótima oportunidade de testar novos jogadores juntamente com uma base que disputou o Mundial na Inglaterra, em 2015. Serão cinco rodadas em que as equipes enfrentam todas as outras. Confira abaixo um resumo do que cada seleção trará para o Six Nations:

Inglaterra: As polêmicas do lado inglês não param. Após a vergonhosa campanha na Copa do Mundo, sendo eliminados em casa na fase de grupos ainda, os britânicos tentam se recuperar com o novo treinador Eddie Jones, que comandou o Japão no Mundial.

Jones tomou uma decisão questionada pela imprensa inglesa, ao colocar como capitão o hooker Dylan Hartley, que já teve diversos problemas com punições. Quanto à equipe, a base é praticamente a mesma da que disputou a Copa.

País de Gales: Os galeses prometem repetir o sucesso conquistado no Mundial, quando derrubaram a Inglaterra ainda na primeira fase. Apesar das muitas lesões no torneio, para o Six Nations eles terão força máxima, com a presença do curioso abertura Dan Biggar, popular por seu “cacuete” na hora dos chutes.

Irlanda: Os atuais campeões do Six Nations querem o tricampeonato, e para isso, terá na nova geração a esperança de fazer bons jogos. Com nomes jovens, os irlandeses terão um bom desafio sem o seu antigo capitão, Paul O’Connell, que se aposentou após a copa.

Escócia: Nos últimos anos, esta pode ser a chance dos escoceses de tentarem um título. Apesar da força das outras equipes, a excelente campanha na Copa do Mundo (quase eliminando a finalista austrália) dá esperança.

O time também mescla a experiência do scrum-half Greig Laidlaw, por exemplo, com a juventude do novo camisa dez, Finn Russell. Após a vitória do Glasgow Warriors em 2015 no segundo maior torneio de clubes da Europa, bons ventos têm passado pelas terras da Escócia.

França: A influência do dinheiro no Top 14 (Principal liga de clubes da França) tem se refletido na escolha da equipe francesa. A grande dificuldade na busca de resultados tem sido na reposição de peças, e isso se reflete nas escolhas dos camisas 9 e 10.

Sebastien Bézy, jovem scrum-half do Toulouse, e Jules Plisson, abertura do Stade Français, terão a missão de organizar o jogo nas primeiras rodadas, e dar um ritmo melhor ao jogo francês.

Itália: Correndo por fora novamente, os italianos querem uma maior ascensão. É bem verdade que a equipe conseguiu vitórias importantes recentemente, mas em 2016 novamente é candidata à colher de pau (“troféu” dado ao último colocado da competição).

Comandados novamente por Sergio Parisse, a equipe italiana terá como ponto forte o apoio de sua torcida, mandando seus jogos no Estádio Olímpico de Roma.

Dois dos três jogos da primeira rodada terão transmissão para o Brasil através da ESPN. Confira abaixo a programação:

1ª rodada (6 e 7 de fevereiro)
(06/02) – França x Itália – 12h20 (Horário de Brasília) – ESPN+
(06/02) – Inglaterra x Escócia – 14h45 (Horário de Brasília) – ESPN
(07/02) – País de Gales x Irlanda



Estudante de Jornalismo na UFPE, fã de esportes, apaixonado por futebol mas também rugby e futebol americano.