4 Dias para o Superbowl 50: O “Show do Intervalo”

(Créditos da Foto: NFL.com)

Faltam apenas 4 dias para um dos maiores acontecimentos esportivos do mundo. O “Super Bowl”, a data mais importante do esporte americano está chegando,  e com a proximidade desta data importante, o Torcedores.com estará com um texto especial todos os dias as 21h30, até a chegada do kickoff decisivo entre Broncos x Panthers.

Está chegando o “Superbowl 50”, o maior acontecimento esportivo do esporte norte-americano e um dos maiores eventos do mundo previstos para este 2016. Com certeza, muitos seguidores do esporte assistirão ao jogo no domingo e, provavelmente, aproveitarão o intervalo para controlar a ansiedade e a adrenalina. Mas é justamente neste momento em que muitas pessoas sintonizam na decisão da NFL, só que não para assistir a partida, e sim para a assistir o “show do intervalo”.

Óbvio, não estamos falando das emissoras brasileiras e seus intervalos nos jogos de futebol, e sim de um show musical que ocorre entre os dois tempos do “Superbowl”. O show pode ser totalmente ignorado por muitos dos fãs dos times envolvidos na decisão, mas certamente é um dos momentos mais espetaculares de um “Superbowl”.

O chamado “Halftime Show” consiste em uma atração musical se apresentando durante o intervalo do jogo final da NFL. Mas o show vai além de apenas a atração entrar no meio do gramado e começar a cantar. A partir do término do cronômetro do 2ª quarto do jogo, começa uma movimentação insana e ligeira dos organizadores do evento para montarem uma “super-estrutura” (que não deve em nada para grandes apresentações musicais pelo mundo) no meio do campo, sem prejudicar o campo de jogo para a continuação da partida. O trabalho é bastante intenso, pois o tempo de toda a preparação da estrutura demora no máximo uns 10 minutos, com a atração entrando e várias pessoas aparecendo para assistirem de perto o show.

Para o “show do intervalo”, são chamados astros internacionais de grande representatividade na música mundial, sempre garantindo bastante repercussão mundo afora. Neste ano, o headliner (atração principal) do “Halftime Show” será da banda Coldplay, com acompanhamento de Beyoncé e Bruno Mars.

O chamado (originalmente) “Halftime Show” existe desde o primeiro Superbowl, entretanto, nem sempre foi do jeito que conhecemos. Nos primeiros eventos, para a atração do show era chamada uma banda universitária norte-americana. A estréia foi com a Grambling State no “Superbowl I”. Alguns anos depois, outros grupos (sem grande popularidade) apareceram para tocarem nos shows junto as bandas universitárias, e posteriormente, fazendo shows solos.

Entretanto, o formato antigo do “show do intervalo” acabou em 1991. O motivo foi a baixa audiência e a fuga de telespectadores durante as apresentações. Em 1992, uma nova medida foi apostar em uma cantora solo para a apresentação, e esta foi Gloria Estefan, cantando 5 músicas. Mas, a tática não deu certo, e a audiência da CBS (que exibia o Superbowl XXVI, e o seu “show do intervalo”) foi facilmente superada pela FOX, que começou uma tradição chamada “contra-programação do Superbowl” (emissoras não-exibidoras do evento que exibem uma novidade na grade) com um especial ao vivo de “In Living Color”.

Após o fiasco em 1992, a NFL resolveu “apostar” em algo muito grande, trazendo um astro da música, chamado Michael Jackson, que cantou 5 músicas e fez uma das maiores apresentações de “Halftime Show” da história, aumentando (na época) de forma muito considerável o interesse pelo intervalo. A partir de 2000, o intervalo do “Superbowl” já estava na cultura norte-americana.

Artistas como U2, Aerosmith, Britney Spears, Christina Aguilera, Tina Turner, Justin Timberlake, Paul McCartney, Rolling Stones, Bruce Springsten, Slash, The Black Eyed Peas, Katy Perry, Lenny Kravitz e Red Hot Chili Peppers já passaram pelo intervalo do “Superbowl” desde então. Claro, a lista foi bem encurtada para a continuidade da matéria…

Vale notar algumas curiosidades dos intervalos desde então. No “Superbowl XXXVI”, realizado em 2002, no show da banda U2 (que tocou 3 músicas), foi erguido um grande telão para exibir nomes das pessoas que perderam suas vidas nos “ataques do 11 de setembro”, ocorrido um ano antes do evento.

O maior palco da história do “Halftime Show” foi em 2006, no “Superbowl XL”, com o show do Rolling Stones. A banda tocou 3 músicas e teve audiência média de 89,9 milhões de pessoas assistindo pela televisão. Entretanto, nem tudo soou bem na transmissão. Em um acordo, a ABC e a NFL determinaram um delay de 5 segundos na transmissão das imagens do show (após um incidente que será relatado a seguir), e com isso, censuraram uma fala de Mick Jagger (cantor da banda) entre as performances, por ser considerada “sexualmente explicita”.

Mas a maior polêmica ocorrida em um intervalo de “Superbowl” foi em 2004, no “Superbowl XXVIII”. Vários artistas se apresentaram no show produzido pela MTV e exibido pela CBS. Entre eles, Justin Timberlake, que durante sua apresentação com Janet Jackson, acabou exibindo uma parte íntima da cantora, levando a emissora transmissora, a produção e a própria NFL a serem denunciadas pela Suprema Corte dos Estados Unidos. A produtora (MTV) também levando banimento da NFL por tempo indeterminado. Aliás, um intenso debate sobre o momento da cultura norte-americana foi levantada por vários jornalistas no mundo todo e pela população em geral.

Entretanto, a imagem do “show do intervalo” conseguiu ser reerguida, e o evento segue como até hoje com uma forte influência no entretenimento até hoje.


(Créditos da Foto: NFL.com)



Vocação jornalística e esportiva desde a infância. Colaborador desde 2015 com matérias/artigos, principalmente nas coberturas do automobilismo, futebol americano e esportes eletrônicos.