Bruno Mars se juntará a Coldplay e Beyoncé no Super Bowl 50

Getty Images

 

Teve Bruno Mars no SuperBowl em 2014 e vai ter Bruno Mars no Super Bowl em 2016 de novo! O cantor foi anunciado por Chris Martin no show do Coldplay que aconteceu no domingo (31). Portanto, o show do intervalo do Super Bowl 50 promete ser o mais esperado de todos os tempos

 

Leia mais Peyton Manning pode não se aposentar após o Super Bowl 50. Veja o time que tem interesse no quarterback

A final da Liga de Futebol Americano (NFL), chamado de Super Bowl tem audiência astronômicas, em 2015, 114,4 milhões de espectadores assistiram ao título do New England Patriots em cima do Seattle Seahawks, de acordo com informações da transmissora  NBC. No ano anterior em 2014, quando o evento foi transmitido pela Fox 112,2 milhões de pessoas haviam assistido. Os números transformam a final em um mega evento que inclusive tem o minuto comercial mais caro da TV mundial.

De acordo com a NBC no que se refere a audiência, o Super Bowl 49 atingiu 47,5% dos televisores americanos ligados, a quarta melhor marca  desde 1989 quando a final do ano em questão chegou a  48,3 pontos percentuais. Vale ressaltar que o recorde pertence ao ano de 1982: com 49,1%.

Além do próprio espetáculo da final entre Carolina Panthers e Denver Broncos no Levi’s Stadium, em Santa Clara, Califórnia, a audiência toda fica por conta do jogo e por conta das atrações, eles apostaram com tudo em nomes que nunca saem da mídia e juntarão quatro destes grandes nomes para o Super Bowl 50: Lady Gaga fará a abertura com o hino nacional americano e no halftime show como é chamado os intervalos durante o jogo, será comandado pela banda britânica Coldplay, a mega cantora pop Beyoncé e agora o cantor hawaiano Bruno Mars. O cantor do hit ‘Uptown Funk’, foi anunciado por Chris Martin, vocalista do Coldplay.

Mars foi quem comandou do show da edição 48 em 2014.

Veja o vídeo:

 

Imagem: Getty Images



Formada em jornalismo pelo Mackenzie, demorei anos para perceber que dá, sim, para ir atrás dos sonhos e trabalhar com o que se gosta: o esporte. Hoje me divido entre o esporte e a política. Nunca vou me conformar com os que dizem: "É só futebol.."