Custo das arenas olímpicas apresenta diferença em relação ao seus valores iniciais

Crédito da Foto: Reprodução/ Facebook oficial do Rio 2016

A APO (Autoridade Pública Olímpica) divulgou na última sexta-feira (29), uma atualização sobre os valores da lista de obras para a Olimpíada. A partir dos dados divulgados, é possível observar que os gastos estão diferentes dos estipulados em 2008.

LEIA MAIS:
Tocha Olímpica do Rio-2016 será carregada por refugiado

Segundo o UOL Esportes, a prefeitura do Rio de Janeiro informou que o dossiê é um documento distinto da lista oficial de obras da Olimpíada e por isso têm o aumento no custo da maioria das obras.

O UOL Esportes fez um calculo que levou em consideração o orçamento mais atual das arenas olímpicas. Assim comparou os valores que estão hoje com os que foram estipulados em 2008, corrigido pelo índice oficial da inflação. Veja:

Parque Olímpico:

O valor inicial para o Parque Olímpico era de R$ 1,914 bilhões em 2008. Agora em 2016 com algumas mudanças na obra, o gasto é de R$ 1,685 bilhões, com isso teve uma redução de 12 % em relação ao valor inicial.

Centro Aquático:

O valor inicial da obra estava estipulado para ser de R$ 118 milhões em 2008, porém agora em 2016 com algumas alterações no projeto inicial, o valor está em R$ 217,1 milhões, sendo assim teve um aumento de 84% do valor inicial que foi estipulado.

Centro Olímpico de Tênis:

O valor inicial era de R$ 143,6 milhões em 2008, já agora em 2016 o valor se apresenta em R$ 191,1 milhões, tendo assim um aumento de 33%.

Velódromo Olímpico:

O projeto inicial gastaria o valor de R$ 109,2 milhões, porém ocorreram mudanças no projeto e agora em 2016 o valor está em R$ 137,7 milhões.

Arena de Hendebol:

O valor inicial era de R$ 152 milhões, mas a arena saiu 12% mais barata, assim custando R$ 133,4 milhões.

Maria Lenk:

Valor inicial era de R$ 26,93 milhões, mesmo com mais uma piscina que não estava no planejamento, a obra ainda está saindo mais barata do que o valor que foi estipulado inicialmente, agora o gasto está em R$ 21,4 milhões. Sendo assim 21% mais barata.

Vila dos Atletas:

O projeto inicial dizia que a Vila seria construída com os recursos da Caixa Econômica Federal e seriam 34 edifícios, porém houve a diminuição do numero de edifícios para 31 e a construção dela foi com recursos privados. O valor inicial da obra era de R$ 1,330 bilhões em 2008, já em 2016 o valor foi de R$ 2,909 bilhões.

Engenhão:

Teve valor inicial de R$ 128,5 milhões, porém agora o valor está 74% menor do que o previsto, ficando então em R$ 33,5 milhões.

Parque Deodoro:

O valor inicial era de R$ 333 milhões e chegou ao valor de R$ 626,5 milhões, sendo assim teve um aumento de 88%.

Centro de Hipismo:

A obra inicial estipulava um valor de R$ 33,46 milhões, porém agora em 2016 a obra apresenta um valor 359% maior, sendo assim está em R$ 153,4 milhões.

Sambódromo:

A obra apresenta um aumento de 55% do valor inicial que era de R$ 41,91 milhões e foi para R$ 65 milhões.

Estádio de Remo da Lagoa Rodrigo de Freitas:

Teve aumento de 8%, o valor inicial era de R$ 7,04 milhões e agora chegou a R$ 7,6 milhões.

Marina da Glória:

O valor inicial de R$ 29,53 milhões estipulado em 2008 foi para R$ 60 milhões em 2016. A obra teve a mais, a construção de novos píeres, de um edifício com garagem para barcos, e também a remodelação completa do edifício principal.

Crédito da foto: Reprodução/