Jovem de 25 anos encara dívidas e vira presidenta do clube de coração

Já imaginou se você pudesse assumir o comando do seu clube de coração? E se ele fosse uma equipe pequena de um Estado sem muitas glórias no futebol brasileiro? E se, além disso, ele fosse endividado e apresentasse vários outros problemas? Você toparia? A administradora Rafaela Escalante, de 25 anos, aceitou o desafio e virou presidenta do Plácido de Castro FC, um clube do Acre que sonha voar mais alto nos próximos anos.

LEIA MAIS
TV Torcedores destaca crescimento do Brasileirão Feminino Caixa

O Plácido viveu sua maior glória em 2013, quando foi campeão estadual pela primeira e única vez até agora. Mesmo assim, tem os problemas que qualquer clube no Brasil possui. Se os gigantes do futebol vivem endividados com patrocínios vultuosos e cifras em direitos de TV com as quais um pequeno time do Acre jamais poderia sonhar, imagine a realidade de um clube como este. Mas a paixão pelo clube foi maior para Rafaela. E a presidência veio quase como por acaso.

“Surgiu através de uma pequena brincadeira. Eu era presidente da torcida organizada. E junto com outras três pessoas, o meu namorado e 2 primos dele, criamos o Fanáticos Plácido. E sempre brincávamos que seríamos presidentes e iriamos mudar a situação do clube”, disse Rafaela em entrevista ao Torcedores.com. A brincadeira virou profecia, mas sem ser algo esperado.

“Inicialmente eu seria vice-presidente, mas eu brinquei com um dos diretores do clube que um dia seria presidente. Aí ele falou: ‘Vai ser vice’. Formaríamos uma chapa e isso já seria um grande impacto. Mas aí, de repente, houve problemas na formação dessa chapa. O candidato a presidente desistiu e me convidaram pra ser presidente. Aceitei com uma condição. Escolher minha vice, a Jovelina Melo”, contou a nova presidenta do Plácido de Castro FC.

Com apenas 25 anos de idade, provavelmente mais jovem que a maioria dos jogadores profissionais do Brasil e certamente do que as comissões técnicas, Rafaela terá um desafio e tanto para alguém que se formou há algum tempo em administração de empresas. Mas ela demonstra confiança. “O clube é pequeno, tem dívidas. Mas com planejamento e transparência isso é reversível. Vamos conseguir”, decreta a dirigente.

Rafaela diz que já está promovendo mudanças na forma de fazer política dentro do clube, e conta com o apoio de companheiros para transformar de vez o Plácido de Castro. “A política antes funcionava de uma forma que não é certa. Alguns dirigentes tinham sobrepeso de funções. Agora está sendo diferente. Em apenas uma semana já mudamos muitas coisas. Todos querem realmente ajudar. Eu não estou sozinha nessa”.

Outro desafio será ampliar a participação do torcedor nesse processo. “A participação da torcida nos clubes só ajuda. Vamos trabalhar juntos, pois dependemos deles também. Time sem torcida não tem muito sentido”, afirmou Rafaela, que relatou não ter sofrido preconceito algum por ser mulher e estar em uma função de comando no futebol.

Demonstrando um pensamento que poucos dirigentes dos maiores clubes do Brasil colocam em prática, Rafaela deu a receita do que pretende fazer em seu primeiro ano na presidência do Plácido. “Nosso principal objetivo, que ficou bem claro na reunião com a diretoria e jogadores, é que não iremos construir mais dívidas. Vamos buscar parceiros, o que é muito difícil. Mas vamos tentar não gastar o que não temos. Vamos trabalhar com o que temos. O que não quero é deixar o time devendo mais do que já está”, afirma a presidenta.

O primeiro desafio será conseguir jogar em casa, no Ferreirão, está com capacidade para 3 mil pessoas que fica na cidade de Plácido de Castro. Atualmente, o time é obrigado a mandar suas partidas na capital, Rio Branco. “Sonhar não é pecado. Queremos nosso time bem financeiramente. Estabilizado. Arrumar o estádio pra mandarmos jogos em casa, pois temos que viajar 100 km até a capital pra jogar e torcer.”

Com novas mentalidades e amor pelo clube, o Plácido de Castro renasce e busca reviver um caminho nem tão distante assim de glórias, já que o clube conseguiu disputar a Série D do Brasileirão e a Copa do Brasil em 2013 e 2014, respectivamente. Voltar a figurar no cenário nacional seria a realização de um sonho para os pouco mais de 17 mil habitantes dessa cidade no Acre.

Foto: Reprodução/Facebook



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.