NBB: Flamengo se impõe após o intervalo, derrota o Paulistano e chega a décima vitória consecutiva

Flamengo
Reprodução/Facebook Oficial NBB

Dez vezes Flamengo. Em sequência. Esse é o número de vitórias consecutivas do Rubro-Negro no Novo Basquete Brasil. Nesta quinta-feira (4), o time carioca superou o Paulistano por 75 a 65, no ginásio do Tijuca, no Rio de Janeiro, pela rodada 21 do NBB. Com o resultado, o Mengão finca o pé ainda mais na liderança do campeonato, com 16 vitórias e três derrotas. O Paulistano segue em terceiro, com 13 vitórias em 19 jogos, e pode ver o Brasília igualar a campanha.

LEIA MAIS
Em jogo eletrizante, São José Basketball faz jogo equilibrado, mas Rio Claro passa à frente no confronto direto

O fator decisivo para a vitória flamenguista foi a atuação de Rafa Luz. Apagado até o último quarto, o armador entrou com tudo e acertou duas bolas de três quando o Paulistano ameaçava uma reação na parcial decisiva. Ele terminou o jogo com 10 pontos e quatro assistências. O cestinha do Flamengo foi o ala Marquinhos, autor de 17 pontos. Pelo Paulistano, Dawkins foi o maior pontuador, com 15, e Caio Torres apareceu com destaque, principalmente na defesa, apanhando 12 rebotes e marcando seis tentos.

Quem esperava um grande confronto entre os finalistas da edição de 2013/14 pode ter se decepcionado no início. O nível técnico aquém deixou o placar baixo na primeira parcial. Mas os times foram se encontrando e disputaram um jogo equilibrado até o intervalo. Na volta dos vestiários, o Flamengo se impôs e abriu vantagem para a vitória. No último período, os paulistas cortaram a diferença e flertaram com a virada, mas os donos da casa administraram bem para mais um triunfo.

O JOGO

Flamengo e Paulistano começaram a partida errando muito. Além de um nível técnico baixo, as equipes amassavam o aro e desperdiçavam muitos arremessos – tanto que o placar apontava 3 a 0 para os paulistas após três minutos de jogo. Após duas paradas, uma por tempo técnico pedido por Gustavo de Conti e outra para acertar o relógio de posse de bola, os times corrigiram a mira e a parcial terminou com 13 a 8 em favor do Paulistano.

No segundo quarto, os cariocas voltaram ligeiramente melhor e se beneficiaram da ida de Caio Torres para o banco do Paulistano para melhorar a defesa e ganhar espaço no garrafão adversário. Rafael Mineiro e Marcelinho Machado tiveram boas participações pelo Fla, e com uma bola de três de cada um, o Rubro-Negro assumiu a ponta. A partir da metade final do período, o jogo melhorou e as equipes trocaram a liderança até segundos antes do fim. Com o placar empatado em 33, Caio Torres teve a bola decisiva nas mãos, mas foi sufocado pela defesa do Flamengo que garantiu a igualdade.

Foi na volta do intervalo que a partida começou a se definir. Os times até voltaram para o intervalo mantendo o equilíbrio, mas Meyinsse botou fogo na partida – e levantou a torcida – com duas cravadas. Marcelinho Machado, em arremesso de fora, e Marquinhos, convertendo dois lances livres, colocaram a vantagem em sete pontos a menos de quatro pontos para o fim. O Rubro-Negro administrou o jogo e ainda conseguiu ampliar a diferença antes do fim, encerrando a parcial com 54 a 45 no placar.

Jogo ganho? Que nada. O Paulistano iniciou o quarto decisivo colocando 8 a 0 no placar, com seis pontos do pivô Toyloy. A diferença caiu para um ponto, obrigando o técnico José Neto a pedir tempo. A parada pareceu surtir efeito e o Flamengo voltou pontuando com Rafa Luz e Rafael Mineiro. O armador, que vinha apagado, acertou dois arremessos seguidos de três pontos que voltaram a diferença para nove pontos e deram tranquilidade ao Rubro-Negro para levar a partida até o fim, aumentando a vantagem e garantindo a décima vitória seguida no NBB.

OUTROS RESULTADOS

Macaé 83 x 90 Liga Sorocabana
Rio Claro 98 x 84 Mogi

Crédito da foto: Reprodução/Facebook Oficial NBB



Jornalista graduado pela Universidade Federal de Viçosa. Tem no esporte uma "paixão não correspondida", já que a habilidade trai na hora de praticar. Se jogar não é o forte, por que não falar sobre?