Opinião: Torcedor deve ter paciência com Corinthians e Palmeiras

Crédito da foto: Divulgação/ Daniel Augusto Jr. / Corinthians

E a segunda rodada do Campeonato Paulista seguiu com duas equipes consideradas favoritas ao título: Corinthians e Palmeiras. Ambos não empolgam, mas toda a calma é pouca nessa hora.

LEIA MAIS:
Opinião: Corinthians perde e ganha com o mercado chinês

O primeiro corre contra o tempo para encontrar a melhor formação antes de sua estreia na Copa Libertadores. Está bem longe daquela equipe que levantou a taça do último campeonato brasileiro. As peças perdidas farão muita falta, mas Tite conhece futebol e pode encontrar uma solução, mesmo que paliativa. O futebol pragmático alvinegro está de volta, porém se o que vale é os três pontos, isso ninguém pode reclamar. Dois jogos, duas vitórias pelo magro 1×0.

A diretoria corre atrás de reforços. Das caras novas, caberá a Willians, Guilherme, Giovanni Augusto, Marlone e André darem conta do recado, e sejamos sinceros, na atual conjuntura um time na maioria das vezes é forte quando se tem conjunto do que propriamente um esquadrão de belos jogadores. O dia a dia será importante, mas acertar logo nos 11 jogadores mais ainda. A torcida apoia, mas não aceitará decepções. Olho neles!

O mesmo serve para o atual campeão da Copa do Brasil. O Palmeiras, mais uma vez se reforçou para a temporada. Desfez-se de alguns jogadores e buscou o que entende ser o melhor para Marcelo Oliveira trabalhar.

O começo de temporada sempre causa má impressão e dúvidas na cabeça do torcedor. Ora, mas é normal vermos equipes do Interior ou às chamadas pequenas sobressaindo. Tiveram mais tempo de preparação e “jogam” sem a mesma responsabilidade e cobrança de um time “grande”.

Se a vitória na primeira rodada contra o Botafogo, de Ribeirão Preto mostrou um alviverde se aproveitando das oportunidades criadas, desta vez contra o São Bento no Pacaembu, a história foi outra no empate em 2×2. Após um início bem postado e com gol relâmpago de Gabriel, o Verdão caiu de produção, deu campo ao adversário e só não perdeu porque houve um “erro” da arbitragem e falta de atenção no apagar das luzes.

Marcelo Oliveira, definitivamente precisa fazer um time mais compacto, mais perto quando defende e quando ataca. Isso ajudará na saída rápida e jogadas de profundidade, além de evitar o excesso de erros de passes. Dificilmente o Palmeiras não se acertará, mas assim como seu grande rival, o tempo para experiência é curto e deve ser assertivo. Pode anotar o meio-campo da equipe paulista será um dos mais fortes do Brasileirão, afinal conta com volantes que sabem se defender e atacar e meias criativos, resta saber se terá o apoio da conturbada zaga e do ataque que também tem tudo para ser avassalador. Vamos aguardar.



Sou formado em Publ & Prop, jornalismo e rádio. Trabalhei em grandes empresas do ramo de serviços e desde 2003 atuo na área esportiva. Fiz parte da equipe da rádio Record e rádio USP, onde criei, produzi e apresentei 2 programas esportivos. Coordenei o principal programa jornalístico da rádio Estadão ESPN. Atualmente atuo na área comercial.