PAPO TÁTICO: O encaixe de Robinho no Atlético-MG

Foto: Bruno Cantini / Atlético MG

Finalmente chegou o dia. O atacante Robinho, principal contratação do Atlético-MG para a temporada de 2016, estreia com a camisa do Galo nesta quarta-feira em jogo contra o Independiente del Valle, pela segunda rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América. Com o “Rei das Pedaladas” no elenco, o técnico Diego Aguirre ganha uma ótima opção para montar o setor ofensivo da equipe atleticana. Robinho pode ser tanto a referência do time para os jogadores mais jovens e formar uma dupla de ataque interessante com o argentino Lucas Pratto. Só resta saber como será o encaixe tático do novo camisa 7 no Galo.

Robinho se destacou no Santos jogando pelo lado esquerdo do 4-2-3-1 montado pelo técnico Emerson Leão no título Brasileiro de 2002. De lá pra cá, o “Rei das Pedaladas” acumulou passagens por grandes clubes da Europa como o Real Madrid, o Manchester City e o Milan. Por outro lado, apesar de toda a experiência internacional e de ainda jogar um futebol bastante superior ao praticado aqui, Robinho chega ao Galo ainda cercado de certa desconfiança. As últimas atuações na China (onde foi dispensado pelo Guangzhou Evergrande) já apontam para um jogador em declínio físico.

Leia mais: Confira a provável escalação do Atlético-MG para o jogo contra o Independiente Del Valle

Apesar da desconfiança, Robinho ainda pode ser muito útil ao Atlético-MG. Mesmo não tendo divulgado a equipe titular, a tendência é que o técnico Diego Aguirre opte pelo popular 4-2-3-1, com Rafael Carioca saindo mais para o ataque (e chegando até a jogar como um “quarto meia”), o equatoriano Cazares atuando mais centralizado e o “Rei das Pedaladas ocupando a posição de sua preferência, no lado esquerdo do ataque entrando em diagonal para a tabela com Lucas Pratto ou para o arremate a gol. Uma escalação ofensiva para dar liberdade à principal contratação da temporada e aproveitar a força da torcida no Horto.

Atlético-MG montado no 4-2-3-1 com Robinho saindo da esquerda em diagonal para a tabela com Lucas Pratto ou o chute a gol. A movimentação do trio de meias será fundamental para o bom aproveitamento do "Rei das Pedaladas".
Atlético-MG montado no 4-2-3-1 com Robinho saindo da esquerda em diagonal para a tabela com Lucas Pratto ou o chute a gol. A movimentação do trio de meias será fundamental para o bom aproveitamento do “Rei das Pedaladas”.

Um dos problemas dessa formação está no lado esquerdo. Robinho nunca foi um jogador comprometido com a recomposição defensiva, fato que pode sobrecarregar Douglas Santos na marcação e ainda sacrificar o meia Cazares, que já declarou que prefere atuar mais centralizado, na marcação no meio-campo, embolando o jogo naquele lado. Além disso, o declínio físico do atleta também pode fazer diferença nesses primeiros jogos com a camisa do Atlético-MG. A solução para esse possível problema no lado esquerdo pode vir da inspiração no Real Madrid de Carlo Ancelotti campeão da Liga dos Campeões da UEFA em 2013/14.

Leia mais: Atlético-MG: Cazares é regularizado e pode estrear na Libertadores

O torcedor se acostumou a ver a equipe merengue jogando num 4-3-3 quando tinha com a posse de bola e se recompondo no 4-4-2 quando estava sendo atacada. E o técnico Diego Aguirre tem no elenco atleticano jogadores qualificados para adotar esse esquema. Apenas uma mudança seria necessária: a entrada do argentino Dátolo na vaga de Cazares. O camisa 10 do Galo tem condições de ocupar o lado esquerdo no meio-campo, seja centralizando para o apoio de Douglas Santos ou voltando mais aberto para fazer a linha de quatro à frente da zaga. Robinho permaneceria no ataque, sem muitas obrigações defensivas.

Atlético-MG montado num 4-3-3 com inspiração no Real Madrid de Carlo Ancelotti. Dátolo entraria no meio-campo e faria a marcação pelo lado esquerdo, liberando Robinho para o ataque.
Atlético-MG montado num 4-3-3 com inspiração no Real Madrid de Carlo Ancelotti. Dátolo entraria no meio-campo e faria a marcação pelo lado esquerdo, liberando Robinho para o ataque.

Não há como negar que o Atlético-MG tem um dos elencos mais fortes do país e vai brigar pelo título das principais competições nesse ano. Luan, Dátolo, Rafael Carioca, Marcos Rocha, Leonardo Silva e Victor já mostraram mais de uma vez que são decisivos. E a entrada de Robinho no setor ofensivo pode ser o toque a mais de qualidade, de experiência e de “molecagem” no escrete atleticano. No entanto, só o tempo dirá se o “Rei das Pedaladas” realmente veio fazer história no Galo Forte e Vingador ou se o já perceptível declínio físico do atleta de 32 anos vai falar mais alto nessa temporada.

A inspiração para o sucesso pode estar no companheiro de Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2006. Assim como Robinho, Ronaldinho Gaúcho chegou no Atlético-MG sob a desconfiança da torcida e foi decisivo na campanha do título da Libertadores de 2013. O “Rei das Pedaladas” já tem em quem se espelhar para conquistar a fanática torcida atleticana.

Campinhos feitos através do Tactical Pad



Produtor executivo da equipe de esportes da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, jornalista e radialista formado pela ECO/UFRJ, operador de áudio, sonoplasta e grande amante de esportes, Rock and Roll e um belo papo de boteco.