Chocolates Inesquecíveis: O eterno 7 a 1 do Corinthians sobre o Santos

O 6 de novembro de 2005 será uma data que eternamente estará presente na memória de duas torcidas. A corintiana e a santista por conta do resultado estrondoso e impactante. Desde 2002, todas as vezes que os dois times cruzavam pelo caminho, uma certeza existia, a de que o Peixe faria gato e sapato da Fiel, pois tinha Robinho em campo.

Contudo, o mundo deu voltas e o camisa 7 da Vila deixou o Brasil, rumando para o Real Madrid. O Corinthians, que teve um elenco forte naquele ano, tinha Carlitos Tévez como sua maior referência técnica em campo e a sede de vingança era o que movia os corintianos, por conta das seguidas surras anteriores. O que ninguém imaginava era que a dívida seria cobrada com juros e correção monetária.

Assim que Evandro Rogério Roman apitou o começo de jogo, a primeira alegria corintiana da tarde não tardou a acontecer. Tévez recebeu de Nilmar, ganhou a jogada de Halisson e passou para Roseinei fazer Corinthians 1 a 0, com apenas um minuto de jogo.

O Santos tentou reagir sete minutos depois. Num escanteio cobrado por Ricardinho, Geílson mandou para o fundo da rede de Fábio Costa. Naquela altura do jogo, esperava-se uma partida equilibrada, só que o gol sofrido sequer abalou o Timão. Um minuto depois, Nilmar apareceu na área santista e mandou na trave. Carlos Alberto era o ponto destoante do time, já que ele estava parado na marcação do time de Vila Belmiro e quando parecia que o Santos chegaria ao segundo, o Corinthians retomou a dianteira do placar. Halisson falhou e Tevez recebeu na área e chutou forte para fazer Corinthians 2 x 1.

O jogo seguia com o Corinthians melhor em campo e aos 37, Eduardo Ratinho lançou o meia argentino, que cobrou a terceira fatura da tarde. Fim do primeiro tempo e o alvinegro de Parque São Jorge estava com uma boa dianteira no placar.

Logo na retomada do jogo, com quatro minutos, Rogério recebeu cartão vermelho deixando o Santos com dez homens em campo e, aos sete, mais uma sessão de cumbia no Pacaembu, com outro gol de Tevez. Ele recebeu na entrada da área, após tabela com Nilmar e, sem marcação fuzilou a meta defendida por Saulo.

Aos 17, mais um gol corintiano, Carlos Alberto chuta do meio da rua, Saulo defende, mas deixa a bola no pé de Nilmar que fuzila a meta santista. Corinthians 5 a 1.

O jogo já estava festivo para o Corinthians e aos 31, Jô que havia acabado de entrar no time, ergueu na cabeça de Nilmar e o camisa 9 guardou o sexto do alvinegro da capital no jogo. O jogo seguiu tranquilo demais para o Corinthians e o Santos queria evitar um vexame maior. Aos 41, Ricardinho aciona Giovani, que chuta a esquerda de Fábio Costa.

Aos 45 do segundo tempo, Marcelo Matos cobrou falta para o Timão, ela bateu na trave esquerda de Saulo e entrou decretando a humilhação suprema do Corinthians sobre o Santos. 7 a 1.

Após aquele jogo, o Corinthians seguiu rumo ao título e o Santos terminou o ano juntando os cacos desta goleada, que custaria o emprego de Nelsinho Baptista.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 7 x 1 SANTOS
Data: 6 de novembro de 2005 – Pacaembu (SP)
Público – 21.918 pagantes
Renda – R$ 323.254,00
Cartões amarelos – Carlos Alberto, Rosinei, Bruno Octávio, Wendell e Kléber
Cartão vermelho – Rogério (SAN), aos 4 minutos do segundo tempo
Gols – Rosinei, a 1, Geílson aos 8, Tevez aos 20 min e aos 36 minutos do primeiro tempo; Tevez aos 8, Nilmar aos 12 e aos 32 e Marcelo Mattos aos 45 minutos do segundo tempo

CORINTHIANS – Fábio Costa; Eduardo Ratinho, Wendel, Marinho e Hugo; Marcelo Mattos, Bruno Octávio (Wescley), Rosinei (Dinélson) e Carlos Alberto, Nilmar e Tevez (Jô). Técnico: Antônio Lopes

SANTOS – Saulo; Paulo César, Halisson (Wendell), Rogério e Kléber; Fabinho (Mateus), Heleno, Giovanni e Ricardinho; Geílson e Luizão (Basílio). Técnico: Nelsinho Baptista.

Foto: Reprodução YouTube