“Coisas fora de campo” ajudaram a tirar D’Alessandro do Inter

Inter
Alexandre Lops / Internacional

Em entrevista à Fox Sports da Argentina nesta sexta-feira, o meia Andrés D’Alessandro deu mais detalhes sobre a sua saída do Inter depois de sete anos e meio de Beira-Rio. No início de fevereiro, o jogador anunciou sua volta ao River Plate e surpreendeu os colorados. Segundo D’Ale, “coisas fora de campo” e “cansaço” pesaram na sua escolha.

LEIA MAIS:

Cinco mudanças drásticas para o Inter sair da crise

Alvo de protestos, Anderson desabafa e diz: “Eu vou vencer no Inter”

“Eu já havia falado com o presidente do Inter no ano passado, por um pouco de cansaço e coisas fora de campo. O grupo do Inter mudou muito, e a responsabilidade sempre caía nos mesmos”, comentou D’Alessandro.

Nos últimos anos, D’Ale se dizia disposto a permanecer no Inter até o final da sua carreira. A sua adaptação à Porto Alegre era evidente e o jogador seguia capitão e ídolo máximo do clube. No entanto, a proposta do River Plate o fez repensar o seu planejamento.

“Foram sete anos e meio, minha família estava bem, nasceu meu filho Gonzalo. Surgiu essa chance do River e comecei a pensar, a falar com minha mulher. Tivemos uma partida em Punta Del Este e gostei muito que o presidente do River falou comigo também”, reforçou.

No River, contudo, o início do ex-colorado não tem sido dos melhores. Ele ainda não fez gol e não venceu nenhuma partida pela equipe, e ainda teve uma lesão muscular logo no seu início. O Inter, por sua vez, contratou o colombiano Juan Quintero para a posição. Antes disso, nomes como Allione e Michel Bastos foram tentados.

 



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.