Opinião: Palmeiras mostrou toda sua raça e técnica no derby paulista

Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Em meio a um jogo imprevisível, o nó tático atribuído ao treinador Cuca, que lançou o time em uma espécie de 4.4.2, com um dos pontas recuados, e para surpresa de todos a vitória foi incontestável.

O Palmeiras enfrentou o time mais coletivo do Brasil, um Corinthians que joga sempre padronizado e compacto, porém o que erá uma possível vantagem corintiana, se tornou uma desvantagem quando se defrontou com um Palmeiras totalmente diferente, com atacantes que saiam da área para buscar o jogo, com meias que não jogavam fixamente na posição. Literalmente o coletivo corintiano ficou totalmente perdido na marcação individual.

Já o alviverde, demonstrou toda sua imponência no inicio da partida, entrando com uma postura de guerra e marcando no próprio campo adversário, sem dar espaço nem para a subida dos laterais nem para troca de passes dos volantes corintianos. Foi um verdadeiro massacre tático, por mais que Tite, modificasse seu time, o resultado sempre continuava o mesmo.

Mas, como sempre os torcedores alviverdes, viveram um “déjà-vu”, na cobrança de Lucca, relembrando a velha “freguesia”, dos tempos do goleiro Marcos. Fernando Prass demonstrou ser talvez o melhor goleiro do Brasil no quesito penalidades, ele praticamente induziu o atacante alvinegro a chutar em seu canto esquerdo, e para delírio de toda a torcida ali presente, o goleiro foi competente e trouxe de volta o velho mito criado pelo seu antecessor.

Mesmo com toda a emoção, um fato trágico que marcou o derby, foram as mortes causadas pelas torcidas organizadas de ambos os clubes. Entretanto, ainda veremos se o Palmeiras continuará reinando ao lado do Santos em clássicos paulistas.