Após condenação, cada gol de Damião custou quase R$ 7 milhões ao Santos

Ricardo Saibun/Santos FC

A Justiça de São Paulo condenou nesta segunda-feira, em primeira instância, o Santos a pagar R$ 74 milhões a Doyen, fundo de investimentos, pelo empréstimo usado na contratação de Leandro Damião junto ao Internacional, em 2014. Damião, como se sabe, teve passagem ruim pelo Santos – e cada um dos poucos gols marcados pelo clube passa a ter um valor absurdo de custo ao Santos. 

Leia também: Santos passa a ter melhor ataque do Paulista; veja lista
Seção Lei do Ex, semana V: São Paulo e salva; Grêmio sofre
Santos x Audax parece não valer nada, mas pode decidir até mando na final

À época, no começo de 2014, a Doyen emprestou cerca de R$ 50 milhões ao Santos (13 milhões de euros) para o pagamento da contratação. O Santos deveria retornar a dívida acrescida de juros de 10% ao ano, o que não fez.

Assim, se perder após recorrer da condenação, o Santos desembolsará R$ 74 milhões por um jogador que não mais atua na equipe – está no Betis-ESP. Vale fazer uma conta simples, então: quanto cada gol de Damião custou ao clube, já que ele, como atacante, tem o gol como principal rendimento ao clube que defende?

Foram 11 gols em 44 jogos pelo clube em 2014. Assim, cada gol teve o custo de R$ 6.727.272 ao Santos. São quase R$ 7 milhões pagos por gol.

A situação piora quando analisados os gols e sua importância: apenas cinco deles, menos da metade, foram decisivos – ou seja: sem eles, o Santos não ganharia o jogo. Contra Botafogo (fez os dois do 2 a 0), Atlético Sorocaba (2 a 1), Penapolense (3 a 2) e Bahia 1 a 0) ele foi decisivo.

Os outros seis gols foram em jogos que, sem o gol de Damião, o Santos sairia com a vitória de qualquer maneira.

O empréstimo junto a Doyen foi feito na gestão Odílio Rodrigues/Laor, presidentes anteriores ao atual, Modesto Roma Jr.



Jornalista esportivo.