Empresário de Dudu cobra mais de R$ 700 mil do Palmeiras na Justiça; entenda

Palmeiras
(Foto: Reprodução/Flickr)

A vinda de Dudu para o Palmeiras no início da temporada passada foi comemorada pelos torcedores como um chapéu nos rivais, já que Corinthians e São Paulo também negociavam com o jogador naquele momento. Porém, o Verdão teve que desembolsar uma bela grana para vencer a concorrência. Foram gastos cerca de R$ 19 milhões para ficar com 100% dos direitos econômicos do atleta e aos empresários foi acertada uma comissão de R$ 900 mil que, segundo eles, não foi totalmente paga.

LEIA MAIS:

MERCADO DA BOLA: PALMEIRAS EMPRESTA ZAGUEIRO PARA O OESTE

PALMEIRAS COMEÇA REFORMAS ANTI-ORGANIZADAS NO CT

10 JOGADORES “ESQUECIDOS” QUE ATUAM NA MLS

MERCADO DA BOLA: FLAMENGO PREPARA SAÍDA DE SEIS JOGADORES

PALMEIRAS SE DEFENDE CONTRA ASSÉDIO E RENOVA CONTRATO DE JOIA DA BASE

Segundo reportagem do ESPN.com.br, Marcelo Robalinho, um dos empresários da Think Ball & Sports Consulting Ltda, empresa que intermediou o negócio, entrou na Justiça contra o Palmeiras para cobrar cerca de R$ 600 mil pelo não pagamento do valor acertado. A transação foi fechada para ser paga em 12 parcelas de R$ 75 mil, mas a empresa alega que foram pagas apenas os dois primeiros pagamentos.

De acordo com a publicação, a Justiça deu uma decisão favorável à Think Ball e deu um prazo de três dias para que o Palmeiras quite o débito, além de 10% de honorários advocatícios sobre o valor em execução – o que faria a dívida ultrapassar a casa dos R$ 600 mil. Caso contrário, o clube deve sofrer penhora de seus bens. O clube, porém, ainda não foi notificado do processo.

Além disso, a Mamabru Participações, outra empresa que tem como sócio Marcelo Robalinho, cobra outros R$ 115 mil em relação ao empréstimo do volante Andrei Girotto ao clube no ano passado.

No negócio, o Verdão acertou o pagamento de R$ 500 mil, em dez parcelas de R$ 50 mil, mas não quitou as duas últimas. O Palmeiras também ainda não foi notificado neste processo.

Caso resolva apresentar defesa, o clube alviverde tem até 15 dias, contados a partir da citação por um oficial de justiça, para fazê-lo.