Kalil diz que contratou Ronaldinho porque o Galo nunca teve um camisa 10 histórico

Atlético-MG
Foto: Bruno Cantini/ Atlético-MG

Um dos dirigentes que tiveram sucesso no futebol, Alexandre Kalil foi o convidado do programa “Aqui com Benja”, do Fox Sports, exibido neste sábado e falou sobre polêmicas, sua vida como presidente, e outros assuntos. E em um deles, o ex-presidente do Atlético-MG falou que contratou Ronaldinho porque o Galo não tinha um camisa 10 todos dos tempos, diferentemente do Cruzeiro.

LEIA MAIS
EX-PSG, ALOÍSIO CHULAPA REVELA TÁTICA COM RONALDINHO: “SOFRIA FALTA E ELE FALAVA PODE COMEMORAR”

Kalil contou que contatou Ronaldinho quando viu que o jogador havia rescindido seu contrato com o Flamengo. Assim já iniciou o trabalho de contratação.

“Deu na internet que o Ronaldinho tinha conseguido na Justiça, se não me engano, sua rescisão com o Flamengo. Aí o Cuca ligou para o Assis e me ligou depois. O Felipe, meu filho mais velho, me ligou também e falou ‘Nosso camisa 10 tá na internet'”, explicou. “Até tem uma coisa importante. Em 2008, quando o Atlético fez 100 anos, a imprensa me pediu para fazer um Atlético de todos os tempos e eu notei que no meu Atlético de todos os tempos, não tinha um camisa 10 de todos os tempos. O Atlético não é um time de camisa 10 de todos os tempos, diferente do Cruzeiro. Mas tivemos camisas 9 historicamente os maiores de todos os tempos (…) Então nós não tínhamos camisa 10. Nós não tivemos um Dirceu Lopes, um Alex (ambos ídolos do Cruzeiro) um Marcelinho Carioca, um Rivaldo…”, completou Kalil.

O ex-mandatário do Atlético ainda contou os bastidores da negociação que envolveu a contratação de Ronaldinho.

“O Cuca me ligou e falei que tinha um problema. Eu estava no Rio de Janeiro e chegaria em Belo Horizonte no dia seguinte. Aí pedi pro Cuca avisar o Assis para ele ir para o Rio. O Cuca me avisou que o Assis estava no Rio. Aí nós sentamos, peguei um papel, fiz a proposta e falei tudo que eu achava. Depois ele foi para Porto Alegre, eu para Belo Horizonte e aí o Assis me ligou e disse ‘Eu quero que você fale tudo o que você me falou para ele (Ronaldinho)’. Aí eu falei que estava na hora dele mostrar que ele não era nada disso que eles (o povo) estavam falando. Que eu ia dar pra ele uma oportunidade rara de uma torcida que faz inveja em todo mundo, uma estrutura que no Brasil não tem nada igual, dia 5 é dia 5 e lá tem direitos e deveres”, revelou Kalil.

Hoje a relação de Kalil e Ronaldinho vai além de funcionário e ex-patrão. “O Ronaldinho só se refere a mim como pai, eu só me refiro a ele como meu filho ‘preto'”, brincou o ex-cartola.

Na era Alexandre Kalil e Ronaldinho, o Atlético-MG foi uma das equipes mais vitoriosas no Brasil. O Galo conquistou o Mineiro e a Libertadores em 2013 e no ano seguinte levantaram e a Recopa Sul-Americana.



Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.