Lutador brasileiro do UFC é preso por agressão a funcionário de boate nos EUA

Reprodução/Instagram

Mais uma vez um lutador da MMA vai parar nas páginas policiais. O brasileiro Diego Brandão foi preso acusado de ter agredido com uma arma um empregado de uma boate de strip tease na cidade de Albuquerque (EUA), segundo o site especializado em MMA Sherdog. A cidade, que fica no estado do Novo México, é onde o peso-pena treina, com a academia Jackson-Wink MMA (a mesma de Jon Jones e Holly Holm).

LEIA MAIS

Fábio Maldonado enfrentará Fedor em junho na Rússia

Dana acena com luta entre Lawler e Woodley para depois do UFC 200

De acordo com um jornal da cidade do Novo México, Brandão teria se envolvido em uma discussão com um DJ de uma boate chamada ‘Knockouts’. Ao retornar, de acordo com a polícia, o lutador teria tentado entrar novamente no estabelecimento, mas foi impedido e tentou agredir os seguranças e funcionários da casa. O brasileiro novamente teria deixado o local e retornado com uma arma.

Ainda de acordo com os relatos policiais e da imprensa, Diego Brandão deu uma coronhada em um dos empregados da boate e teria apontado a arma para ele e um grupo de pessoas antes de deixar o local. O brasileiro recebeu três acusações da polícia de Albuquerque: lesão corporal com arma de fogo, lesão corporal qualificada e agressão com arma de fogo.

Campeão do The Ultimate Fighter 14, Diego Brandão recebeu suspensão preventiva da Comissão Atlética do Estado de Nevada após ter sido pego no exame antidoping feito durante o UFC 195, em janeiro deste ano, quando foi derrotado por finalização por Brian Ortega, com a presença de traços de maconha em seu corpo. Contando com esta luta, são três derrotas em suas cinco últimas lutas pelo Ultimate (Brandão também foi derrotado pelo atual campeão da categoria, Conor McGregor e Dustin Poirier).

(Crédito da foto: Reprodução/Instagram)